Papa afasta bispo do Paraguai suspeito de encobrir padre pedófilo

Afastamento de responsável pela diocese de Ciudad del Este ocorre dois dias depois de ex-núncio na República Dominicana ter sido colocado em prisão domiciliária.

Foto
Papa tomou “decisão dolorosa” determinada por “sérias razões pastorais” ANDREAS SOLARO/AFP

O afastamento do argentino Rogelio Livieres Plano, 69 anos, é apresentado pelo Vaticano, num comunicado desta quinta-feira, como uma “decisão dolorosa” determinada por “sérias razões pastorais”.

A decisão foi tomada depois de um “cuidadoso exame” às conclusões de visitas da Congregação para os Bispos e da Congregação para o Clero ao bispo, à diocese e aos seminários de Ciudad del Este.

Livieres Plano, que está em Roma desde o final da semana passada, continua a ser bispo, mas não lhe será atribuída a administração de uma diocese, noticiou o jornal paraguaio Vanguardia. O até aqui responsável por Ciudad del Este não se quis demitir, segundo o núncio apostólico, Eliseo Arioti.

No comunicado divulgado pelo Vaticano, o Papa Francisco “pede ao clero e a todo o povo de Deus de Ciudad del Este que acolham a decisão da Santa Sé com espírito de obediência, docilidade e sem desavenças”.

O Vanguardia noticiou que, para prevenir eventuais manifestações, foi montado um dispositivo policial junto à sede da diocese. O jornal escreveu também que os enviados do Vaticano constataram que “não há unidade na Igreja paraguaia”.

As investigações à diocese de Ciudad del Este começaram em Julho e Livieres Plano tinha já sido proibido de ordenar seminaristas – os sacerdotes estavam a ser consagrados após quatro anos de estudo, quando a regra é de um mínimo de seis anos.

A “protecção férrea” do padre Carlos Urrutigoity, argentino suspeito de abuso de rapazes nos Estados Unidos, nomeado vigário-geral da diocese, e denúncias de má utilização de verbas recebidas para obras sociais foram outros motivos que levaram à investigação do Vaticano.

A Reuters, que cita relatos de publicações católicas, indica que um bispo norte-americano disse a responsáveis da Igreja do Paraguai que Urrutigoity, ordenado no seio do grupo católico integrista Fraternidade Sacerdotal S. Pio X, de que foi excluído por homossexualidade, é “uma séria ameaça para os jovens”.

O bispo Livieres Plano teve também, segundo o La Vanguardia, desentendimentos com grupos de católicos laicos e acusou os seus pares do Paraguai de serem adeptos da teologia da libertação. Numa polémica com o arcebispo de Asunción, Pastor Cuquejo, o prelado agora afastado, identificado pela Reuters como membro do grupo Opus Dei, chamou “homossexual” ao interlocutor.

Para bispo de Ciudad del Este foi nomeado Jorge Valenzuela Rios, bispo de Villarrica del Espíritu Santo.

A decisão do Vaticano de afastar o bispo da diocese paraguaia foi anunciada dois dias depois de um ex-bispo pedófilo, o polaco Josef Wesolowski, antigo núncio na República Dominicana, ter sido colocado em prisão domiciliária, também por indicação do Papa. Wesolowski, de 66 anos, tinha sido afastado do sacerdócio em Junho, pela Congregação para a Doutrina da Fé, e está a aguardar julgamento num tribunal criminal exterior ao Vaticano.

O Papa Franciso prometeu tolerância zero para crimes de pedofilia na Igreja e comparou-os a “missas satânicas”.