PSD garante que Passos Coelho cumpre legislatura até ao fim

Bancadas da oposição exigem que primeiro-ministro preste esclarecimentos sobre a sua antiga vida profissional.

Luis Montenegro garantiu que o PSD vai nomear os seus deputados
Foto
Montenegro foi dos principais entusiastas de um inquérito à CGD Rui Gaudêncio

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, garantiu esta quarta-feira que o Governo vai cumprir a legislatura até ao fim com a liderança “firme e honesta” de Passos Coelho. Já as bancadas da oposição pedem que o primeiro-ministro esclareça os pagamentos que terá recebido enquanto parlamentar nos anos 1990.

A garantia do PSD foi dada durante uma resposta ao deputado do PS José Junqueiro, no plenário da Assembleia da República, que defendeu que o primeiro-ministro devia “dilucidar as dúvidas existentes” sobre a sua situação profissional enquanto deputado.

“Não há nenhum cenário de fuga do primeiro-ministro do PSD. Não! Os senhores querem eleições antecipadas, mas nós vamos cumprir a legislatura até ao fim”, afirmou Luís Montenegro, acrescentando que esse tempo decorrerá com a “liderança firme e honesta de Pedro Passos Coelho”.

Numa declaração política sobre o “Governo à deriva” e os pedidos de desculpas dos ministros da Educação e da Justiça, José Junqueiro defendeu que “o primeiro-ministro é um cidadão com responsabilidades acrescidas e se ninguém deve ser o bom nome posto em causa, muito menos um primeiro-ministro deve sujeitar-se a isso”. O deputado socialista sustentou que deve ser Passos Coelho a esclarecer e deixou um recado: “Resta saber, mais uma vez, se o senhor Presidente da República tem melhor informação e continua a pensar que está tudo bem.”

Foi o rastilho para Luís Montenegro sair em defesa do primeiro-ministro. “O que queria dizer era adensar as especulações e suspeitas em torno do primeiro-ministro. Nesta bancada temos total confiança no primeiro-ministro, que já deu múltiplas provas de seriedade para funções que exerceu e a função que tem  hoje”, afirmou, garantindo depois o cumprimento da legislatura sob a liderança de Passos Coelho.

José Junqueiro, ao longo das respostas que deu aos deputados, foi rejeitando a ideia de que tenha feito acusações ou insinuações sobre Passos Coelho, mas o tema contaminou as intervenções das restantes bancadas.

A exigência de esclarecimentos por parte do próprio do Passos Coelho foi sublinhada pelo deputado do PCP António Filipe. “Não acha que em primeira linha quem tenha obrigação de esclarecer é o primeiro-ministro?", questionou o deputado, considerando que essa falta de explicações “só o enfraquece enquanto governante”. A mesma exigência foi feita por Cecília Honório do Bloco de Esquerda e pelo deputado de Os Verdes José Luís Ferreira.

A outra defesa de Passos Coelho veio da bancada do CDS. O líder parlamentar não poupou o deputado do PS e acusou-o de fazer uma “insinuação sonsa”. “O CDS tem confiança na palavra do primeiro-ministro. Dito isto, digo-lhe e recorde que não comentamos suspeições, seja quem for”, disse Nuno Magalhães. E rematou: “Foi lamentável e por isso não tenho perguntas a fazer.”