Próximas edições do CAN passam por Camarões, Costa do Marfim e Guiné

Em 2019, 2021 e 2023, respectivamente.

Adepto da Costa do Marfim, país que recebe o CAN em 2021
Foto
Adepto da Costa do Marfim, país que recebe o CAN em 2021 Luc Gnago/Reuters

Camarões, em 2019, Costa do Marfim, em 2021, e Guiné (Conacri), em 2023, foram os países escolhidos pela Confederação Africana de Futebol para receber as próximas edições do Campeonato Africano das Nações (CAN).

Por decidir está ainda a atribuição da edição de 2017, depois de se tornar inviável a organização da Líbia, devido aos conflitos no país, o que obrigou a um novo processo e um prazo de entrega de candidaturas para preencher a vaga até ao final de Setembro.

A escolha de Camarões 2019, Costa do Marfim 2021 e Guiné 2013 foi anunciada pelo presidente da Confederação Africana de Futebol, Issa Hayatou, em Addis-Abeba, na Etiópia.

Os Camarões, em 1972, e a Costa do Marfim, em 1984, repetem a organização do CAN. Argélia e Zâmbia, que também apresentaram candidatura à organização da prova, foram os países preteridos.

Para a edição de 2017 têm sido avançadas as hipóteses de Quénia, Argélia, Etiópia, Gana ou Mali, mas o nome do país organizador apenas vai ser conhecido no próximo ano.