Priscila Fernandes faz escola em Barcelona

A artista portuguesa abre um ciclo de exposições no Espai 13 da Fundação Joan Miró.

Foto
Priscila Fernandes venceu o prémio EDP Jovens Artistas em 2011 MIGUEL MANSO

A artista portuguesa Priscila Fernandes (Coimbra, 1981) abre hoje no Espai 13 da Fundação Joan Miró, em Barcelona, o ciclo de exposições Lesson 0, um projecto de reflexão sobre o estado actual da educação artística com comissariado de Ane Agirre e Juan Canela (Colectivo Azotea). El llibre d'educació estètica de l'Escola Moderna, que ocupará o Espai 13 até 8 de Dezembro, resulta de uma investigação pessoal da artista em torno da Escola Moderna, uma instituição educativa fundada na Barcelona do início do século XX por Francesc Ferrer i Guardia que durante cinco anos, entre 1901 e 1906, praticou um ensino "livre, racional, secular, igualitário e não-coercivo", até ser finalmente obrigada a fechar as suas portas.

A exposição de Priscila Fernandes, vencedora do prémio EDP Jovens Artistas em 2011 e actualmente radicada em Roterdão, na Holanda, procura imaginar o que poderia ter sido o ensino estético no ambiente "racional e científico", historicamente já muito distante, da Escola Moderna. Para esse efeito, a artista portuguesa transformou o Espai 13 numa sala de aula, com reproduções de obras de arte e posters pedagógicos nas paredes e todo o mobiliário e material necessários para levar a cabo um programa educativo. No centro da exposição está um livro especialmente concebido para a ocasião, ¿Y el arte? The Book of Aesthetic Education of the Modern School, acabado de publicar por Priscila Fernandes. "Todos estes objectos e recursos configuram uma instalação com uma dupla função: servem de base à exposição e ao mesmo tempo acolhem as actividades ligadas ao projecto [Lesson 0], que oferece um curso de formação para professores, o programa de mediação Pedagogías de fricción", lê-se no comunicado distribuído à imprensa.

O ciclo Lesson 0, que decorrerá até Setembro do próximo ano, incluirá ainda mais três projectos expositivos, respectivamente a cargo da peruana Rita Ponce de León (19 de Dezembro a 15 de Março de 2015), da dupla norte-americana Anna Craycroft/Marc Vives (27 de Março a 21 de Junho) e da checa Eva Kotatkova (3 de Julho a 6 de Setembro).