Pires de Lima inaugura investimento que deixa Unicer “à prova de bala” da concorrência

Cervejeira investiu 100 milhões de euros em novo edifício-sede e em centro de produção.

Foto
Pires de Lima regressou à empresa onde foi CEO durante sete anos. Nelson Garrido

O ministro da Economia, António Pires de Lima, inaugurou esta terça-feira uma parte substancial de um investimento de 100 milhões de euros que, nas palavras do governante,” deixam a Unicer à prova de bala da concorrência nacional e europeia”.

Pires de Lima sabe do que fala, já que o investimento foi lançado pelo próprio, em 2012, quando era presidente executivo (CEO) da cervejeira nortenha, cargo que exerceu durante sete anos.

O ministro da Economia elogiou a coragem dos accionistas – a família Violas,  a Arsopi, o BPI e a dinamarquesa Carlsberg – que aprovaram o investimento numa altura em que o país tinha acabado de pedir ajuda financeira externa.

"Sejamos sinceros: talvez muitos factores recomendassem que um investimento desta natureza, um investimento de longo prazo de 100 milhões de euros, justificado por razões de competitividade de longo prazo, fosse adiado e se fizesse numa outra altura”, afirmou.

“Mas os accionistas da Unicer disseram que sim", revelando “um sentido de responsabilidade social" que deve estar sempre presente nas empresas. “Eu acho que há uma dimensão de responsabilidade social e, portanto, de responsabilidade pública na gestão de uma empresa privada, há um impacto público daquilo que fazemos quando somos donos, proprietários, gestores, colaboradores ou trabalhadores de uma empresa privada", defendeu o ministro.

Com o investimento realizado, Pires de Lima garante que “está assegurado o futuro da Unicer”. E "Portugal precisa do sucesso da Unicer", referiu, acrescentado que “se há coisa que alimenta a confiança são os bons exemplos do sector privado”.

Destacando o papel decisivo do accionista dinamarquês, nos momentos decisivos da aprovação do investimento, Pires de Lima destacou que “quando as empresas são boas, Portugal vale a pena para o investimento estrangeiro”.

O investimento, num novo edifício-sede e num centro de produção, foram inaugurados numa altura em que a Unicer comemora 50 anos em Leça do Balio. O plano de melhoramento das instalação em Matosinhos Inclui ainda uma armazém automatizado, com uma área equivalente a um campo de futebol, a inaugurar no próximo ano, altura em que a Unicer, fundada pelo grupo CUF, completará 125 anos de actividade.

O novo centro de produção, com 450 milhões de litros de capacidade, permite abastecer a totalidade do mercado nacional, o que levou o novo CEO da empresa, João Abecasis, a dizer, com alguma ironia, “em Portugal, cerveja “não vai faltar”. João Abecasis, que sucedeu a Pires de Lima nos comandos da empresa, destacou que o novo centro de produção é dos melhores da Europa, e está inserido num modelo de negócio mais sustentável.

Actualmente, a Empresa exporta 40% da produção, uma percentagem que a empresa “ambiciona”  aumentar para 50% nos próximos anos. Os principais mercados externos são Angola - onde existe um projecto, com parceiros locais, de construção criação de uma fábrica. Seguem-se o Brasil, Moçambique, Estados Unidos da América e Médio Oriente.