Ferreira Leite: Portugal perdeu pasta do emprego na Europa porque recusou nomear Silva Peneda

Ex-líder do PSD considerou uma ironia do destino Portugal ter ficado com um sector que tem sido dos mais castigados pelo Governo.

Foto
Ferreira Leite (ao centro) e Silva Peneda (2.º à dir.) no doutoramento de Juncker em 2013 pela Universidade do Porto Fernando Veludo/NFactos

No seu habitual comentário no programa Política Mesmo, da TVI24, a ex-presidente social-democrata foi peremptória: “Essa pasta [Emprego, Assuntos Sociais e Modalidade Laboral] não estava destinada a Portugal, mas a um português, Silva Peneda”.

E concluiu que, ao não escolher Peneda, militante do PSD e presidente do Conselho Económico e Social (CES), o Governo acabou por perder essa importante pasta.

"A partir do momento em que o Governo, com certeza por motivos de natureza nobre, entendeu que o dr. Silva Peneda não servia para aquele lugar, evidentemente que a pasta não era para Portugal. Portanto, perdemos essa pasta", acrescentou.

Silva Peneda, que chegou a oferecer-se para comissário europeu, tem sido muito crítico das políticas económicas do Governo enquanto presidente do CES.

Manuel Ferreira Leite considerou que a pasta atribuída a Portugal, que terá Carlos Moedas como comissário europeu da Investigação, Ciência e Inovação, é uma boa pasta. Afirmou, porém ser “uma ironia do destino” Portugal ficar com este cargo, uma vez que “a ciência, e nomeadamente as universidades, têm sido dos sectores mais castigados pelo Governo”.