Nove candidatos do PCP "indisponíveis" para serem deputados

Paula Baptista, que ocupava o terceiro lugar na lista pelo Porto, renunciou ao mandato por questões “pessoais e familiares”.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Diana Ferreira é a mais recente deputada do PCP. Entrou para o lugar de Paula Baptista no dia 1 de Setembro, mas era apenas o 13.º nome na lista de candidatos do PCP à Assembleia da República pelo círculo do Porto.

Ao PÚBLICO, o líder da bancada do PCP, João Oliveira, justificou a opção com "necessidades específicas da composição do grupo parlamentar", destacando as áreas de trabalho que são necessárias preencher. "A orientação geral do partido" no sentido do rejuvenescimento dos seus quadros também não foi alheia a este processo.

O líder parlamentar explica que "a discussão tem que ver com considerações de vários elementos, desde logo com necessidades específicas da composição do grupo parlamentar, e foi feita com cada um dos candidatos", que, para efeitos objectivos, estavam "indisponíveis". O processo culminou com declarações de "impedimento temporário" de cada um dos nove nomes que separavam Paula Baptista, em terceiro lugar, de Diana Ferreira, em 13.º.

A saída do Parlamento do histórico deputado comunista Honório Novo em Julho do ano passado esteve desde o início refém de alguma polémica. O parlamentar chegou a assumir publicamente que a sua vontade era permanecer em funções, em vez de renunciar. Honório Novo era, aliás, um dos deputados com maior protagonismo na comissão de Orçamento e Finanças, ainda na era do ministro Vítor Gaspar.

Quando saiu sucedeu-lhe Paula Baptista, candidata número três pelo Porto, e que agora renuncia ao mandato por questões “pessoais e familiares”. A ordem foi então absolutamente respeitada, já que o deputado Jorge Machado, eleito em segundo lugar, já integrava o grupo parlamentar.

Diana Ferreira já está em funções desde dia 1 de Setembro. Tem 33 anos, é psicóloga e corresponde ao esforço de renovação geracional que o partido tem concretizado nos últimos anos. Desde o início desta legislatura, em 2011, a bancada comunista já contabiliza quatro renúncias. Além de Honório Novo, renunciaram Agostinho Lopes, Bernardino Soares e Paula Baptista.

Dos 14 deputados comunistas, Diana Ferreira passa agora a ser a segunda mais jovem, depois de Rita Rato, com 31 anos. A nova parlamentar foi dirigente da JCP e integrou a direcção nacional e a comissão regional do Porto. Foi eleita para a Assembleia Municipal de Gaia, onde é líder do grupo municipal da CDU. Integra ainda a Assembleia da união de freguesias de Gulpilhares e Valadares.

A estreia de Diana Ferreira sucedeu ainda na semana passada no plenário extraordinário que serviu para debater o chumbo recente do Tribunal Constitucional à redução salarial da função pública além de 2015 e à contribuição de sustentabilidade aplicável aos pensionistas.

Segundo um comunicado do PCP, divulgado no final de Agosto, a decisão “foi tomada em articulação entre o PCP e Paula Baptista, que deixa de ser deputada do PCP na Assembleia da República por razões pessoais e familiares”.

Paula Baptista, que assim só ocupou o cargo durante um ano, vai agora retomar “funções que anteriormente assumia no partido, designadamente na direcção da organização regional do Porto e comissão concelhia de Gaia, mantendo-se ainda como eleita na Assembleia Municipal de Gaia, cuja lista da CDU encabeçou nas últimas eleições autárquicas, acrescenta o comunicado.