Papa casa 20 casais no domingo, entre eles uma mãe solteira e um divorciado

Basílica de São Pedro vai ser o local dos matrimónios celebrados pelo Papa.

Foto
GABRIEL BOUYS/AFP

Francisco vai retomar no próximo domingo uma tradição papal, a celebração de casamentos. Desde João Paulo II, que casou oito casais, que nem o Papa Bento XVI nem o próprio Francisco celebraram um matrimónio. O actual Papa vai unir sob o sacramento do casamento na Basílica de São Pedro, no Vaticano, 20 casais, entre eles uma mãe solteira e um divorciado.

Os casais que serão casados por Papa Francisco, também reconhecido como o bispo de Roma, são todos da capital italiana. Os casamentos ocorrem dois meses depois de o Papa ter celebrado uma missa na capela da sua residência em Santa Marta com 15 casais que assinalavam 25 a 60 anos de união. Na cerimónia, Francisco falou da fidelidade, perseverança e fertilidade como os pilares para um casamento bem-sucedido. 

No dia 14 de Setembro, o Papa vai casar 20 casais, entre eles Gabriella, uma mãe solteira, e Guido, cujo anterior casamento foi anulado, ambos com cerca de 50 anos, avança o jornal italiano La Repubblica. O casal, escolhido pela diocese de Roma, manifestou-se surpreso com a sua entrada na lista dos 20 casais. “Não acreditámos que pudéssemos responder aos requisitos dos casais católicos como os imaginamos”, confessou Gabriella ao jornal.

Gabriella e Guido queriam que a sua união fosse reconhecida pela Igreja Católica mas nunca pensaram que viessem a ser casados pelo próprio Papa. “Conhecemo-nos há cinco anos e a necessidade de casar pela Igreja surgiu do desejo de deixar de viver a nossa união e os nossos sentimentos privados de alguns sacramentos”, explica a mulher.

Os casamentos que serão celebrados na Basílica de São Pedro seguem-se às uniões realizadas por João Paulo II durante o Jubileu das Famílias, há quase 14 anos. Acontecem ainda três semanas antes do início do sínodo extraordinário dos bispos destinado a discutir assuntos sobre a família, que foi precedido de um questionário dirigido aos fiéis no qual foram inquiridos sobre casais que não são casados, divorciados ou adopções.

O casamento de uma mãe solteira e de um divorciado, um casal considerado atípico segundo os valores da Igreja Católica, é semelhante a outro caso protagonizado por Francisco. Em Janeiro último, o Papa baptizou 32 crianças, entre elas o filho de um casal apenas casados pelo civil.