Isabel II "horrorizada" com vitória do "sim" à independência

Casa Real assegura que rainha se vai manter neutral.

Foto
Isabel II pediu para ser informada diariamente sobre a evolução da campanha na Escócia ADRIAN DENNIS/AFP

Nem a notícia de que o príncipe William e a mulher, Kate, esperam um segundo filho – que será o quarto na linha de sucessão ao trono britânico – sossegará a rainha Isabel II por estes dias. A imprensa britânica adianta que a monarca, de 88 anos, está “horrorizada” com a possibilidade de a Escócia se tornar independente.

A rainha foi surpreendida pela sondagem do Sunday Times no castelo de Balmoral, a residência da coroa britânica na Escócia, onde recebeu durante o fim-de-semana o primeiro-ministro, David Cameron.  

“A rainha é unionista e muitas pessoas garantiam-nos que estava tudo bem, mas agora há grande preocupação”, disse uma fonte da Casa Real ao Daily Mail, um dos jornais que noticiaram a inquietação da rainha, ao ponto de o Palácio de Buckingham ter vindo a público garantir que Isabel II se mantém “estritamente neutral” e que apesar de estar previsto que esteja em Balmoral no dia do referendo não tem agenda prevista para esse dia.

Desde o arranque da campanha que Alex Salmond, líder do governo autónomo escocês, assegurou que Edimburgo pretende manter a rainha como chefe de Estado. Mas a sondagem do YouGov revela que 46% (um recorde até à data) defende que no caso de uma cisão a Escócia deveria quebrar os laços com a família real britânica.

Sinal de preocupação, Isabel II terá pedido a Cameron que a mantenha diariamente informada sobre a campanha. E no primeiro comentário sobre a gravidez da mulher, o príncipe William pediu aos jornalistas que se concentrem “nas grandes notícias e nas coisas internacionais e nacionais que estão a acontecer”.


  

Sugerir correcção