Fatia de leão do Manchester United num Verão de recordes em Inglaterra

Mais de mil milhões de euros gastos em contratações pelos clubes ingleses, um valor superior ao de toda a época passada. Red devils contrataram Falcao e deixaram sair “Chicharito” e Welbeck.

Fotogaleria
Falcao muda-se para o Manchester United DR
Fotogaleria
"Chicharito" Hernández com a camisola do Real Madrid Susana Vera/Reuters

Foi um Verão de recordes no futebol inglês, com estimativas de perto de mil milhões de libras (mais de 1200 milhões de euros) gastos em contratações – uma quantia superior à investida em toda a temporada passada. Uma parte considerável da responsabilidade pelos valores astronómicos em causa assenta nos ombros do Manchester United, que já tinha estabelecido um novo máximo para uma transferência de clubes ingleses ao contratar Di María ao Real Madrid por 59,7 milhões de libras (75,5 milhões de euros). Mas os red devils não se ficaram por aí, garantindo Radamel Falcao para o ataque.

A chegada de um novo treinador e uma nova filosofia, na ressaca de uma das piores épocas da história do clube, já seriam argumentos para o Manchester United ser um dos grandes animadores do mercado de transferências. Mas o mau início dos red devils às ordens de Louis van Gaal (dois empates e uma derrota na Premier League e eliminação na Taça da Liga inglesa, ainda em Agosto) ajudou a convencer os dirigentes do clube a abrir os cordões à bolsa e investir mais umas libras, traduzindo-se na formalização da contratação do holandês Daley Blind por 14 milhões de libras (17,7 milhões de euros) e na contratação de Radamel Falcao. O colombiano deixou o Mónaco e Leonardo Jardim para fazer exames médicos em Manchester e assinar acertar o empréstimo de uma temporada. A contratação foi confirmada oficialmente na madrugada desta terça-feira, com o United a ficar com opção de compra.

PÚBLICO -
Foto

A chegada de Falcao implicou que o Manchester United deixasse sair dois jogadores do ataque no último dia do mercado. “Chicharito” Hernández foi cedido, também por uma época, ao Real Madrid. “É um sonho. Poder representar este clube é um sonho tornado realidade. Toda a gente sabe o que o Real Madrid representa e é uma honra estar aqui”, disse o mexicano na apresentação. E Danny Welbeck abandonou Old Trafford para assinar pelo Arsenal. A transferência do internacional inglês foi avaliada em 16 milhões de libras (20,2 milhões de euros).

Mas não foi só o Manchester United que andou de cabeça perdida no derradeiro dia do período de transferências. O Hull City fez história ao pagar 12 milhões ao Palermo por Abel Hernández, que se torna na contratação mais cara dos tigers. O avançado uruguaio esteve no radar do Benfica, mas a oferta do clube inglês superou a dos “encarnados”, convencendo Hernández a assinar um contrato de três anos.

Pelo contrário, o Chelsea de José Mourinho viveu um dia sossegado. Tendo na véspera garantido Loïc Rémy (ex-QPR) e cedido Fernando Torres ao Milan, os blues enviaram outro futebolista, Marco van Ginkel, para San Siro.

Postiga no Deportivo
Para lá da contratação de “Chicharito” pelo Real Madrid, em Espanha viveu-se um dia relativamente tranquilo entre os clubes do topo da classificação. A excepção foi o campeão Atlético de Madrid ter fechado a contratação do atacante italiano Alessio Cerci, que alinhava no Torino.

Hélder Postiga reforçou o contingente português no Deportivo da Corunha. O internacional português rescindiu o contrato com o Valência, onde não entrava nas contas de Nuno Espírito Santo, e assinou um vínculo com a duração de um ano. Na Corunha vai encontrar os portugueses Luisinho, Diogo Salomão e Ivan Cavaleiro. Falhadas as abordagens a Enzo Pérez ou Fredy Guarín, o Valência terá garantido o brasileiro Felipe Augusto, do Rio Ave, que já não alinhou pelos vila-condenses frente ao Boavista.

Ainda em Espanha, o Rayo Vallecano (onde jogam os portugueses Zé Castro e Licá) contratou por empréstimo o argentino Emiliano Insúa, que representou o Sporting entre 2011 e 2013. O lateral esquerdo foi cedido pelo Atlético de Madrid. Os ex-FC Porto Nabil Ghilas e Carlos Eduardo foram emprestados ao Córdoba e ao Nice, respectivamente, ambos por uma temporada.

O ex-Benfica Javier Saviola deixou o Olympiacos e comprometeu-se com o Verona, da Liga italiana. Nos gialloblù, o argentino vai encontrar outros dois veteranos: Luca Toni e Rafa Márquez. E na Bundesliga o Borussia Dortmund recuperou Shinji Kagawa. Após duas temporadas no Manchester United, o japonês (que já tinha alinhado pela equipa de Jürgen Klopp entre 2010 e 2012) assinou contrato até 2018.

Também houve lugar ao insólito no último dia do mercado: pouco tempo depois de o Milan ter oficializado Jonathan Biabiany como reforço – com foto do jogador com a camisola e cachecol dos rossoneri – o clube italiano cancelou o negócio. Cristian Zaccardo, que seria incluído como moeda de troca no negócio com o Parma, terá rejeitado a mudança. E o Zenit S. Petersburgo anunciou a contratação de... Bart Simpson. A figura de animação será mascote do clube russo e foi fotografada ao lado de André Villas-Boas.

Sugerir correcção