P3
Foto
P3

Megafone

Adeus, Revista Bgamer

Não é surpresa nenhuma que o formato físico tem perdido espaço para o digital e muitas publicações têm fechado. A própria Newsweek há uns anos optou por se tornar unicamente virtual

Acabou. A única publicação física dedicada só aos videojogos despede-se de nós. Agosto será a última edição. Para trás fica um impressionante legado de 16 anos, desde 1998 até hoje, e claro, no futuro, um enorme vazio nas bancas de Portugal continental e ilhas.

Não é surpresa nenhuma que o formato físico tem perdido espaço para o digital e muitas publicações têm fechado. A própria “Newsweek”, uma revista com grande circulação internacional, há uns anos optou por se tornar unicamente virtual. Mas para mim, que cresci com jornais, revistas e/ou suplementos, é sempre estranho ter de adaptar-me só ao suporte digital. Não me sinto totalmente confortável a ler no “tablet” ou computador. Sempre que possível prefiro ter algo mais palpável (e sem ecrã) nas mãos. No entanto, bem sei que a ordem natural do mundo é andar para a frente e não se pode ficar preso no passado durante muito tempo, ou existe adaptação e evolução, ou então, dá-se a extinção. Aliás, segundo estudos oficiais da União Europeia, Portugal é dos países da Europa em que se lê menos em formato físico — quer sejam revistas, jornais ou livros —, mas, por outro lado, é dos que mais lê informação na internet.

O caso da Bgamer vai certamente criar um vazio. Portugal ficar sem um órgão de comunicação social tão relevante como esta revista não beneficia ninguém na indústria. E em sequer se trata duma publicação que apareceu há pouco tempo: a Bgamer atravessou três décadas diferentes no nosso país! Ainda me lembro da primeira edição, totalmente dedicada ao futebol, com destaque para o SWWS 98, Adidas Power Soccer 98, Sensible Soccer 98, World Cup 98 e Super Match Soccer.

Curiosamente, quase todos estes títulos eram séries que hoje não existem. Logo aqui consegue-se perceber há quanto tempo estava a revista no mercado. Curiosamente, a última capa será dedicada ao PES 2015. Parece que o ciclo se concluiu. Começaram e acabarão abordando o futebol virtual. Claro que não era incólume a criticas, e muitos diziam que a publicação era só um aglomerado de “reviews” e “previews”, ou só existia porque o jogo de oferta mantinha algum interesse. Mas, sendo sincero, revistas de cultura gaming como a Hype, ou sobre várias comunidades relacionadas com os videojogos, como a Smash, não duraram muito tempo no mercado. Outras que até eram semelhantes, como a Maxiconsolas ou Mega Score, também já saíram há algum tempo. Isto só prova como a Bgamer era um projecto resistente. Mas, pelos vistos vai ter de nos abandonar. Aliás, se existe alguma espécie de banca do mundo espiritual onde as publicações físicas acabam, imagino a Bgamer ao lado de revistas, como a Hype, Smash, Mega Force, Mega Score, Multiconsolas/Maxiconsolas, Player, Spooler, Bestial e Super Jogos.

Brevemente irei tristemente comprar a ultima edição física (apesar de tudo, o site ainda vai continuar), deixando assim o meu agradecimento final a todos aqueles que um dia formaram a equipa da revista Bgamer. Obrigado pelo legado e dedicação!