Arranque em falso do Boavista facilita tarefa do Sp. Braga

“Axadrezados” sofreram golos a abrir a primeira e a segunda partes, perdendo desde cedo a hipótese de discutir o resultado

Foto
Éder marcou de grande penalidade Francisco Leong/AFP

Foi com uma vitória expressiva (3-0) que o Sp. Braga apadrinhou o regresso do Boavista à elite do futebol português. Num jogo em que ficaram bem evidentes as diferenças de qualidade entre as duas equipas, os minhotos cedo encarrilaram um triunfo que o adversário nunca conseguiu pôr em causa.

Destaque no primeiro “onze” oficial de Sérgio Conceição para a presença de quatro caras novas — Kritciuk, Marcelo Goiano, Tiago Gomes e Pedro Tiba —, enquanto no Boavista, que arrastou até Braga algumas centenas de adeptos, apenas João Dias e Tengarrinha sabiam o que era jogar na I Liga.

Apesar da menor experiência do “axadrezados”, até lhes pertenceu a primeira jogada de perigo, logo aos 20 segundos de jogo, mas na resposta imediata, ainda não se tinha cumprido um minuto, Pedro Tiba inaugurou o marcador. O ex-médio do V. Setúbal conduziu a bola, tabelou com Éder e, na cara de Monllor, desviou para o fundo da baliza.

Na frente do marcador, o Sp. Braga foi gerindo a posse de bolae permitindo que os visitantes equilibrassem as operações. Aos 30’, o Boavista aproximou-se com maior perigo da área minhota, mas o remate de Brayan acabou por ser interceptado por Alan.

E se o Boavista ambicionava regressar das cabines a sonhar com outro resultado, depressa viu o cenário tornar-se mais negro. Tal como no primeiro tempo, o Sp. Braga entrou praticamente a marcar, quando Ruben Micael, ainda de fora da área, deu o melhor seguimento a um excelente lance individual de Rafa, pelo lado esquerdo.

Os “axadrezados” acusaram demasiado o golpe e descoordenaram-se na defesa, abrindo espaços para Éder fazer o golo. O interncional português não o conseguiu aos 57’, numa boa ocasião, mas iria facturar aos 84’, quando tentava entrar na área e foi rasteirado por Fábio Ervões. O defesa do Boavista foi expulso, enquanto o próprio Éder se encarregava de fazer o 3-0, de grande penalidade, fechando a cortina sobre o 94.º duelo entre dois históricos do futebol português.

Ficha de jogo
Sporting de Braga-Boavista, 3-0.
Estádio Municipal de Braga.
Espectadores: 12.838.
Marcadores: 1-0, Pedro Tiba, 1'; 2-0, Ruben Micael, 46'; 3-0, Éder, 83' (g.p.).

SPORTING DE BRAGA: Kritciuk, Marcelo Goiano, Santos, André Pinto, Tiago Gomes, Custódio, Pedro Tiba, Ruben Micael (Luiz Carlos, 72), Alan (Pardo, 65), Rafa e Éder.
Treinador: Sérgio Conceição.
BOAVISTA: Daniel Monllor, João Dias, Lucas Rocha, Fábio Ervões, Anderson, Tengarrinha, Idris (Diego, 52), Brayan, Zé Manuel (Yoro Ly, 60), Julian (Pedro Cid, 84) e Bobô.
Treinador: Petit.

Árbitro: Vasco Santos (Porto).
Acção disciplinar: amarelo para Fábio Ervões (43 e 82), Diego (53), Zé Manuel (54)´e Ruben Micael (55). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Fábio Ervões (82).