Pedro Costa melhor realizador e Lav Diaz Leopardo de Ouro em Locarno

Palmarés equilibrado e justíssimo premiou ainda o americano Alex Ross Perry e o brasileiro Gabriel Mascaro, numa escolha que soube recompensar os melhores e mais interessantes filmes a concurso.

Fotogaleria
"Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
"Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
"Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
Pedro Costa DR
Fotogaleria
"Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
"Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
"Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
Pedro Costa em Cannes em 2006 Vincent Kessler/REUTERS
Fotogaleria
"From What is Before", de Lav Diaz "Cavalo Dinheiro", de Pedro Costa
Fotogaleria
"From What is Before" DR
Fotogaleria
"From What is Before" DR
Fotogaleria
Lav Diaz, o realizador de "From What is Before" DR

Pelo quarto ano consecutivo, um cineasta português regressa premiado do festival de Locarno. Pedro Costa recebeu o Leopardo de Melhor Realizador por Cavalo Dinheiro, num palmarés equilibrado e atento que atribuiu o prémio máximo do evento, o Leopardo de Ouro, ao filme do filipino Lav Diaz From What Is Before. Listen Up Philip, do americano Alex Ross Perry, recebeu o Prémio Especial do Júri, e Ventos de Agosto, do brasileiro Gabriel Mascaro, uma menção especial.

O júri, presidido pelo documentarista Gianfranco Rosi e composto ainda pelas actrizes Alice Braga e Connie Nielsen e pelos realizadores Thomas Arslan e Diao Yinan, anunciou as suas escolhas numa conferência de imprensa que decorreu esta manhã no Palazzo Morettini. O palmarés, justíssimo, recompensou os filmes mais interessantes exibidos ao longo dos últimos dez dias e foi recebido com muitos aplausos pelos jornalistas que enchiam a sala, sobretudo quando Pedro Costa e Lav Diaz foram nomeados. 

A actriz francesa Ariane Labed recebeu o Leopardo para a melhor interpretação feminina pelo seu retrato de uma engenheira da marinha mercante em Fidelio - L'Odyssée d'Alice de Lucie Borleteau; o prémio de interpretação masculina foi para o russo Artem Bystrov, pelo seu canalizador idealista em The Fool, de Yuri Bykov.

From What Is Beforeum intensíssimo exercício de memória ambientado nas Filipinas profundas à beira da instauração da lei marcial por Ferdinando Marcos, foi dos primeiros filmes a ser exibidos e, com quase seis horas de duração, tornou-se igualmente num dos "fenómenos" do festival. Tem, curiosamente, vários pontos de ligação com Ventos de Agosto, onde Gabriel Mascaro olha também para uma comunidade remota nos confins da selva, embora os filmes sejam extraordinariamente diferentes em tom e narrativa. E ambos não podiam estar mais nos antípodas de Listen Up Philip, uma comédia dramática amarga e urbana sobre as dificuldades de relacionamento de um escritor nova-iorquino.Em comum têm serem filmes de cineastas que trabalham temáticas narrativas clássicas (a história, a memória, a passagem à idade adulta, a relação com os outros e a comunidade) inspirados por formas históricas do cinema mas trabalhando-as de modo moderno e radical. 

Cavalo Dinheiro, que fora considerado um dos favoritos ao Leopardo de Ouro, foi inicialmente recebido com algumas reservas mas as críticas que têm entretanto sido publicadas são assaz entusiasmadas. Caso de Scott Foundas, que na revista Variety lhe chama um filme "estranha e assombradamente belo", que "desafia classificações e reimagina as possibilidades do cinema"; ou de Eric Kohn, do site Indiewire, que descreve Cavalo Dinheiro como "um poema tonal cinemático" que "lança um encantamento difícil de afastar".

Para lá de Pedro Costa, que teve aqui a sua terceira passagem pelo concurso de Locarno após No Quarto de Vanda e o filme colectivo Memories, Portugal esteve ainda no palmarés através da co-produção Songs from the North (Rosa Filmes). Este ensaio-documentário da sul-coreana Soon-mi Yoo, criado a partir das suas viagens à reclusiva Coreia do Norte, foi apresentado na competição Cineasti del Presente e recebeu o prémio Opera Prima para melhor primeiro filme, transversal às principais secções do festival.

O júri do concurso secundário Cineasti del Presente, dedicado a primeiras e segundas obras, presidido pelo cineasta sírio Ossama Mohammed, optou por premiar a América Latina. O Leopardo de Ouro Cineasti del Presente coube ao mexicano Ricardo Silva por Navajazo e o Prémio Especial do Júri ao colombiano Oscar Ruiz Navia por Los Hongos.

Palmarés
Competição Internacional
Leopardo de Ouro - From What Is Before (Filipinas) de Lav Diaz

Prémio Especial do Júri - Listen Up Philip (EUA) de Alex Ross Perry

Melhor Realização - Pedro Costa por Cavalo Dinheiro (Portugal)

Melhor Actriz - Ariane Labed por Fidelio, L'Odyssée d'Alice (França)

Melhor Actor - Artem Bystrov por The Fool (Rússia)

Menção especial - Ventos de Agosto de Gabriel Mascaro (Brasil)

Cineasti del Presente

Leopardo de Ouro - Navajazo (México) de Ricardo Silva

Prémio Especial do Júri - Los Hongos (Colômbia/França/Argentina/Alemanha) de Oscar Ruiz Navia

Melhor Realizador Emergente - Simone Rapisarda Casanova por La Creazione di Significato (Canadá/Itália)

Menção especial - Un jeune poète (França) de Damien Manivel

Opera Prima (melhor primeiro filme) - Songs from the North (EUA/Coreia do Sul/Portugal) de Soon-mi Yoo

Pardi di Domani (curtas-metragens)

Pardino d'Oro internacional - Abandoned Goods (Reino Unido) de Pia Borg e Edward Lawrenson

Pardino d'Oro nacional - Totems (França) de Sarah Arnold

Prémio do Público Piazza Grande - Schweitzer Helden (Suíça) de Peter Luisi

Prémio do Júri Ecuménico - The Fool (Rússia) de Yuri Bykov

Prémio Fipresci (Crítica Internacional) - From What Is Before

Semana da Crítica - 15 Corners of the World (Polónia/Alemanha) de Zusanna Solakiewicz e La Mort du Dieu Serpent (França) de Damien Froidevaux