Socialistas apertam cerco a Guterres para candidatura presidencial

Enquanto à esquerda se vive uma vaga de fundo pelo ex-primeiro-ministro, à direita multiplicam-se os presidenciáveis.

PS quer Guterres em Belém depois de Cavaco Silva, em 2016
Foto
PS quer Guterres em Belém depois de Cavaco Silva, em 2016 Enric Vives-Rubio

Mário Soares, António José Seguro, António Costa e agora Jorge Coelho integram um único coro: António Guterres seria um excelente Presidente da República.

Em entrevista à RTP, na segunda-feira à noite, Jorge Coelho, que tem agora a responsabilidade de presidir à comissão eleitoral das primárias do PS, exprimiu publicamente o que se podia adivinhar. O ex-primeiro ministro socialista é o seu candidato presidencial para 2016. “Seria das muito poucas coisas que me faria sair da vida que tenho hoje (…) Numa luta dessas estaria com grande vontade e com grande prazer ao lado dele porque acho que o país ficaria com um excelente Presidente da República”, disse.

Coelho, o homem forte do ex-primeiro-ministro, junta-se assim a um coro de figuras de primeira linha do PS. O militante número um, Mário Soares, já disse que “só há um candidato de peso às presidenciais”.

“Para a nossa esquerda não há outro. Guterres é o melhor", afirmou ao Expresso no mês passado.

Seja quem for o próximo secretário-geral do PS, depois das eleições primárias a 28 de Setembro, António José Seguro e António Costa concordam que o actual Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, cargo que deve exercer até 2015, seria o homem ideal para suceder a Cavaco Silva no Palácio de Belém.

“Acho que seria um privilégio para o país poder ter o engenheiro António Guterres como Presidente da República. (…) Se tivesse que escolher, creio que era seguramente o melhor que a esquerda poderia ter”, disse Costa ao PÚBLICO no final do mês passado.

Logo de seguida, Seguro afirmou também ao PÚBLICO: “António Guterres, se quiser ser candidato a Presidente, estou convencido que receberá o apoio da esmagadora maioria, não só dos socialistas, mas de muitos cidadãos portugueses. António Guterres tem todas as condições para ser um grande Presidente da República.”

Enquanto à esquerda se vive esta vaga de fundo por Guterres, à direita multiplicam-se os presidenciáveis. Apesar da direcção social-democrata de Pedro Passos Coelho já ter dado sinais públicos sobre a sua preferência por Pedro Santana Lopes, Marcelo Rebelo de Sousa, Durão Barroso e Rui Rio são nomes que agradam a sectores do PSD.

Sugerir correcção