Após cinco anos a cair, há mais 2000 alunos candidatos ao ensino superior

Concurso terminou com 42.455 alunos inscritos, mais 1909 do que no ano passado. Conjuntura negativa começa a ser ultrapassada, defende presidente da Comissão Nacional de Acesso.

Resultado significa uma inversão na tendência de quebra da procura do superior
Foto
Resultado significa uma inversão na tendência de quebra da procura do superior DAVID CLIFFORD

O número de estudantes candidatos a aceder ao ensino superior público no próximo ano lectivo aumentou em relação ao concurso do ano passado. O total de propostas apresentadas foi 42.455, mais 1909 do que no passado.

Este resultado significa uma inversão na tendência de quebra da procura que se registava desde 2008, pelo que o presidente da Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES) acredita que a conjuntura negativa no sector está a ser ultrapassada.

A 1.ª fase do concurso de acesso ao ensino superior terminou à meia-noite desta sexta-feira. A 24 horas do final do prazo de candidatura, já tinham sido registados 41.084 pedidos de entrada num curso superior, valor que já ultrapassava os 40.546 registados em todo o primeiro período de candidaturas do ano passado. No último de inscrições, mais 1371 alunos demonstraram a intenção de entrar numa universidade ou instituto politécnico.

Esta é a primeira vez, desde 2008, em que o concurso nacional de acesso não regista uma quebra de procura. Em cinco anos, houve menos 12.900 estudantes a quererem entrar no ensino superior. O presidente da CNAES, João Guerreiro, sublinha que este aumento de candidatos “traduz uma tendência positiva”. “Julgo que estaremos a ultrapassar uma situação conjuntural difícil e negativa”, diz.

Esta recuperação não é porém, suficiente, para combater esta perda acentuada de interesse no ensino superior que vem sendo notada ao longo dos últimos anos lectivos. O número deste ano superou os registados em 2006 (40.860), mas ficou aquém dos valores de 2007 (52.148), mantendo-se como um dos anos com menor número de candidatos da última década.

A expectativa do presidente da CNAES é, porém, de que nos próximos anos possa vir a observar-se uma tendência positiva, atendendo ao “aumento do contingente de jovens que frequenta o ensino secundário” por via do aumento da escolaridade obrigatória para os 12 anos. A entrada de novos alunos no ensino secundário “irá contribuir para, futuramente, reforçar o fluxo de candidatos ao ensino superior”, acredita João Guerreiro.

Resultados a 8 de Setembro

Este responsável recusa também que a explicação para o aumento do número de candidatos ao ensino superior possa estar na melhoria das notas nos exames nacionais do ensino secundário deste ano, que classifica de “factor secundário”. As notas médias nas três disciplinas com maior número de inscritos subiram este ano. Nos casos de Português e Biologia e Geologia, a nota média atingiu um resultado positivo, ao contrário do que tinha acontecido no ano passado. Os resultados da 1.ª fase dos exames nacionais mostraram uma melhoria generalizada dos resultados dos alunos, com excepções em disciplinas como Matemática, História e Economia.

Os mais de 42 mil estudantes que se candidatam ao ensino superior disputam uma das 50.820 vagas definidas pelas instituições de ensino superior para o próximo ano lectivo. O concurso de acesso começou a 17 de Julho e foi este ano um dia mais curto do que no ano anterior.

Os resultados desta 1.ª fase de candidaturas são conhecidos a 8 de Setembro e os estudantes terão então quatro dias para apresentarem reclamação ou efectivarem a sua inscrição junto das instituições de ensino superior onde ficaram colocados. Na mesma data começa a 2.ª fase de candidaturas às universidades e institutos politécnicos, que se prolonga até 19 de Setembro.

O processo de acesso ao ensino superior neste ano lectivo ficará apenas concluída a 27 de Outubro, quando terminar o prazo para resposta a reclamações às candidaturas apresentadas à terceira e última fase do concurso.

Notícia actualizada às 15h44

, com valor finais do concurso.