Entidade regional vai pedir ao Turismo de Portugal que “assuma responsabilidades” no Circuito da Boavista

Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal diz que só poderá confirmar apoio financeiro se houver reforço de orçamento da instituição.

Foto
Adriano Miranda

Para já, o presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), Melchior Moreira, não tem qualquer resposta definitiva para dar ao pedido de apoio financeiro para o Circuito da Boavista, feito pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira. Mas o responsável pela entidade regional garante que a missiva do autarca foi “bem recebida” e defende que “o Turismo de Portugal tem responsabilidades” que deve assumir.

“O Circuito da Boavista e o Rali de Portugal são grandes eventos para a promoção do Porto e Norte. O meu apoio é total a este tipo de iniciativas”, disse ao PÚBLICO Melchior Moreira. Contudo, o mesmo não se pode dizer, por enquanto, do apoio financeiro, solicitado por Rui Moreira, na ordem dos 650 mil euros. “Estamos a avaliar [o apoio] num quadro financeiro em que o Turismo de Portugal tem responsabilidades. Irei falar com o Turismo de Portugal e defender que, no quadro de apoio a marcas regionais, estes dois eventos são importantes”, diz o presidente do TPNP.

Melchior Moreira admite, no entanto, que a disponibilidade do TPNP para responder favoravelmente ao pedido do autarca do Porto dependerá da existência de um reforço orçamental da entidade regional, no próximo ano. “Temos um orçamento de quatro milhões de euros. Só com recursos humanos gastamos mais de 50% deste valor. Se os municípios que irão receber o Rali de Portugal pedissem um apoio, como o Porto, ficávamos sem capacidade de actuar. Teremos de avaliar esta questão no próximo quadro orçamental”, refere.

Conforme o PÚBLICO ontem noticiou, Rui Moreira escreveu ao presidente do TPNP, na semana passada, solicitando um apoio de 650 mil euros, que permitiria confirmar a realização da prova do WTCC - World Touring Car Championship, na Avenida da Boavista, em 2015. Na missiva, o presidente da câmara explicava que a autarquia está disposta a assumir os custos de organização, avaliados em 2,1 milhões, mas que era necessário um apoio do Estado para a aquisição de uma campanha publicitária no canal Eurosport, o organizador do WTCC, no valor de 650 mil euros. Essa campanha funcionaria como fee, explica, o autarca e é a contrapartida para que a prova portuguesa do campeonato mundial continue a realizar-se.

A carta de Rui Moreira seguiu já depois de o Turismo de Portugal ter anunciado que não iria apoiar o Circuito da Boavista nem o Rali de Portugal. E também depois de o Eurosport ter inscrito temporariamente a prova portuense do WTCC no calendário internacional da Federação Internacional do Automóvel de 2015. Esta inscrição foi feita sem qualquer garantia de que o evento se venha mesmo a realizar e sem qualquer contrapartida financeira no caso de a câmara não conseguir o apoio financeiro que garantirá a realização do evento, garantiu ao PÚBLICO fonte camarária.

Melchior Moreira insiste na importância do Circuito da Boavista e do Rali de Portugal “na promoção do Porto e Norte” e que o seu empenho na continuidade dos dois eventos “é total”.

Ontem, foi também conhecido o perfil do turista que visitou o Porto e Norte de Portugal no segundo trimestre de 2014. O levantamento, feito pelo IPDT – Instituto de Turismo aponta para um aumento substancial do consumo médio dos turistas que passaram pela região, quando se compara com igual período do ano passado. Se, entre Abril e Junho de 2013, o turista gastava em média 274 euros por estada, este ano, o valor subiu para os 487. Segundo a informação fornecida pelo IPDT, em comunicado, este aumento prende-se, sobretudo, com o maior número de dias que o visitante permanece na região, em lazer ou em visita a familiares e amigos.