Foto

Que concertos do Cais de Fado é que não vais perder?

Programa do primeiro festival urbano dedicado ao fado organizado pela Casa da Música já é conhecido. Há piqueniques e jantares, concertos e provas. E uma paisagem e tanto

Já está online, e prestes a ser consultado e descarregado, o programa completo para o Cais de Fado, a iniciativa da Casa da Música, organizada em parceria com a Câmara de Gaia, que vai transformar a frente ribeirinha do Douro no palco daquele que é o primeiro festival urbano dedicado ao fado. Foi pensado para agradar aos turistas - mas não será só para turista ver. 

Durante três dias consecutivos, de 24 a 26 de Julho, o Fado vai ser roubado às suas casas habituais e palcos tradicionais, e atirado à rua - mais concretamente, às ruas do centro histórico de Gaia para ser oferecido de forma gratuita aos turistas e visitantes. Como mestres de cerimónia teremos as vozes de alguns dos seus mais reconhecidos e reputados intérpretes, como Gisela João, Cristina Branco, Mariza e Camané. E algumas vozes muito promissoras, como António Laranjeira, Diogo Aranha ou Rita Ruivo.

A iniciativa pode ser usufruída de várias maneiras. Ou de uma forma organizada e estruturada, depois de consultado o programa e os horários - para quem já está habituado a fazer sprints entre palcos, em festivais como o Nos Primavera Sound, para não perder pitada, o Cais do Fado não apresenta particular dificuldade. Mas há concertos que começam com apenas meia hora de diferença. Ou então, é so deixar fluir. Apanhar o metro, autocarro, barco ou teleférico e acostar na margem de Gaia para começar a usufruir dos eventos. Começam às 18h00, no palco montado na Praça Sandeman, com um concerto de Diogo Aranha, e terminam, três dias depois, no palco do Mosteiro da Serra do Pilar, para um concerto inédito de Fado Sinfónico, com Cristina Branco e Camané a apresentarem-se ao público acompanhados pela Orquestra Sinfónica da Casa da Música.

Há três palcos colocados em espaços públicos na frente Ribeirinha e há mais seis empresas/Caves de Vinho do Porto que também se associaram à iniciativa e abriram as suas portas para receber o Fado: Calém, Ramos Pinto, Porto Cruz, Croft, Cockburn’s e Taylors. Para além dos concertos, algumas caves organizaram iniciativas extra (e pagas) que se sobrepõem às habituais visitas guiadas. por exemplo, a Cockburn’s proporciona um piquenique ao ar livre, enquanto se ouve o concerto da fadista Patrícia Costa. Nas caves Calém será possível jantar todas as noites.

Finalmente, e qual cereja no topo do bolo, também as instituições como o Museu do Vinho do Porto ou o Mosteiro da Serra do Pilar se associaram à iniciativa e alargaram os seus horários de abertura ao público. Uma oportunidade e tanto, sobretudo para a visita ao Mosteiro da serra do Pilar, que estará aberto até as 22h00. A última subida ao zimbório, porém, terá de ser feita até às 16h30. 

Notícia actualizada em 16/7/14: foi adicionada uma frase ao último parágrafo