PAN "totalmente contra" instalação de restaurante da McDonald's no Caleidoscópio

Partido pelos Animais e pela Natureza apela à Universidade de Lisboa para que encontre "uma parceria mais adequada" que permita a reabilitação do edifício no Jardim do Campo Grande.

Foto
A Universidade de Lisboa quer transformar o Caleidoscópio num centro académico Bruno Almeida

O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) está “totalmente contra” a abertura de um restaurante da McDonald’s no edifício do Caleidoscópio, no Jardim do Campo Grande, em Lisboa, por considerar que a empresa “é responsável por uma fatia absurdamente elevada dos impactos ecológicos que originam a situação insustentável em que o planeta se encontra”.

Como o PÚBLICO noticiou, a reabilitação do edifício, com um custo estimado de cerca de 1,6 milhões de euros, deverá ser custeada pela McDonald’s Portugal, como contrapartida pela exploração de um restaurante no seu interior.

O antigo centro comercial Caleidoscópio foi cedido pela Câmara de Lisboa à Universidade de Lisboa, para que esta aí instalasse um centro académico, aberto 24 horas por dia. Face à ausência de recursos próprios, esta entidade decidiu colocar nas mãos de um privado a realização das obras, tendo a McDonald’s Portugal sido a única empresa que manifestou interesse no negócio.

Numa informação escrita enviada ao PÚBLICO, o PAN diz ser “totalmente contra” esta parceria. “A Universidade de Lisboa, enquanto instituição pública e académica, deve pautar a sua conduta por princípios éticos e escolher parceiros cuja conduta ética deve ser irrepreensível em relação a todos os seres e ao ecossistema”, afirma o partido, acrescentando que “esta instituição possui responsabilidades especiais na formação das novas gerações, que serão os principais agentes da alteração do actual paradigma civilizacional e ecológico”.  

Referindo-se à McDonald’s, o partido, que tem um deputado eleito na Assembleia Municipal de Lisboa, lembra que “a pecuária intensiva e a consequente industrialização da carne que alimenta cadeias de consumo como esta não só provoca sofrimento animal, como é responsável pela desflorestação e o escassez de recursos, como é o caso da água doce”.

A informação escrita do PAN, enviada pela sua assessora de imprensa, termina apelando à Universidade de Lisboa para que “tente encontrar uma parceria mais adequada que permita que o novo Centro Académico seja razão de orgulho”.

Já a McDonald’s, a quem o PÚBLICO enviou uma série de perguntas sobre o seu projecto para o Caleidoscópio, limitou-se a dizer que “foi a entidade vencedora do concurso promovido pela Universidade de Lisboa, referente à reabilitação do edifício”. “Neste momento, decorre o processo de contratualização pelo que para já não poderemos adiantar mais detalhes”, acrescenta a empresa, em respostas enviadas através de uma agência de comunicação.