DR
Foto
DR

Welwitschias conseguiram o que parecia impossível

Contra todas as previsões, a Namíbia conseguiu vencer a fase de qualificação africana e apurou-se para o Mundial 2015

Quase que era preciso um milagre e foi isso que aconteceu. A Namíbia estava dependente de uma complexa conjugação de resultados para conseguir a qualificação para o Mundial 2015 e neste domingo, em Antananarivo, capital de Madagáscar, tudo correu de forma perfeita para os Welwitschias.

Após perder na jornada inaugural contra o Quénia, a Namíbia chegou à ultima jornada na terceira posição e dependia de terceiros para conseguir o segundo lugar (repescagem), mas o primeiro posto, que dava acesso directo ao Mundial 2015, parecia praticamente impossível.

Com duas vitórias nos dois primeiros jogos, o Quénia dependia apenas de si e apurar-se-ia directamente para Inglaterra se vencesse ou empatasse frente ao Zimbabué. Uma derrota com a conquista dos bónus ofensivos e defensivos também apuraria imediatamente os quenianos. Se o Zimbabué não marcasse quatro ensaios, bastaria ao Quénia perder por menos de oito pontos.

PÚBLICO -
Foto

Mas o sonho queniano de jogar pela primeira vez um Mundial transformou-se em pesadelo. Embora tivesse poupado 11 habituais titulares contra Madagáscar, o Quénia fraquejou no momento decisivo e foi derrotado pelo Zimbabué, por 10-28. O triunfo dos zimbabueanos por 18 pontos de diferença garantia-lhes, no pior dos cenários, um lugar na repescagem, mas os três ensaios na partida não chegaram para alcançar o bónus ofensivo que daria ao Zimbabué imediatamente o passaporte para Inglaterra.

PÚBLICO -
Foto

E esta conjugação de resultado servia como uma luva aos interesses da Namíbia. Após terem sido dado como praticamente afastados do Mundial 2015, os Welwitschias voltavam a ter na mão a possibilidade de se apurarem pela quinta vez consecutiva para a mais importante competição de selecções.

Para isso, os namibianos precisavam de vencer a frágil selecção de Madagáscar com bónus ofensivo e por uma margem superior a 53 pontos. E esse objectivo foi cumprido sem problemas, apesar da ausência da grande estrela da equipa: Jacques Burger. Com um domínio avassalador, a Namíbia já ganhava no início da segunda parte por 60-0 e, no final, despachou a selecção da casa por 89-10 e fez a festa.

Com a vitória na fase de qualificação africana, a Namíbia é o 19.º país apurado para o Mundial 2015 e fará parte do Grupo C, juntamente com a Nova Zelândia, a Argentina, a Geórgia e Tonga. O Zimbabué vai disputar uma repescagem frente à Rússia, sendo que o vencedor desse encontro terá ainda que disputar um "play-off" contra o Uruguai ou Hong Kong.