Vítor Bento e Mota Pinto deverão integrar Conselho Estratégico do BES

Espírito Santo Financial Group confirma, através da CMVM, escolhas de Vítor Bento para presidente executivo e de Moreira Rato para responsável do pelouro financeiro.

Foto
A a holding que controla o BES substitui hoje o Banif no PSI 20 Foto: Miguel Madeira

Os nomes de Vítor Bento, de Paulo Mota Pinto e também de João Moreira Rato, que será o responsável pelo pelouro financeiro, foram confirmados este sábado pela Espírito Santo Financial Group, através de comunicado colocado no sítio da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O texto refere que a indicação dos três nomes acontece na sequência dos "acontecimentos públicos que se verificaram posteriormente à convocação da assembleia geral do BES para o próximo dia 31 de Julho, que geraram a indeterminação quanto à futura governance do banco". E acrescenta que a decisão foi tomada após consulta "aos outros accionistas de referência" do Banco Espírito Santo. 

Os nomes dos elementos indicados para o Conselho Estratégico ainda não são conhecidos, mas o banco francês deverá ter três representantes e a ESFG terá, no mínimo, mais um, correspondendo, assim, ao peso accionista de cada uma das instiuições.

Este órgão não estatutário terá um papel consultivo junto da gestão executiva do banco, agora que, com a saída de Ricardo Salgado, se abre uma nova etapa na vida de um dos maiores bancos comerciais portugueses, a partir de uma reestruturação profunda da sua estrutura de gestão.

Quando se começou a falar da criação deste Conselho Estratégico, o primeiro nome dado como certo para assumir a presidência foi o de Ricardo Salgado, mas neste momento, apurou o PÚBLICO, ainda não é certo que a solução passe pelo homem que liderou o Banco Espírito Santo ao longo de duas décadas.

Parceiros no BES há décadas, a família Espírito Santo e o banco cooperativo francês Crédit Agricole deixaram de controlar, em conjunto, a maioria do capital do banco no último aumento de capital, de 1045 milhões de euros. Mas continuam a ser os principais accionistas da instituição e o suporte efectivo da estratégia que o banco irá prosseguir - - a ESFG controla 25,1% do capital e o Crédit 14,6%.

Os dois deram o seu apoio ao convite feito a Vítor Bento para se tornar o novo presidente executivo do Banco Espírito Santo, uma solução que era defendida pelo supervisor bancário. Bento está, actualmente, à frente da SIBS, a companhia que gere o sistema multibanco. Já o responsável pelo pelouro financeiro, uma área crítica na actual conjuntura do banco, será João Moreira Rato, actual presidente do instituto que gere a dívida pública portuguesa (o IGCP), que o comunicado da ESFG diz ter sido indicado por Vítor Bento.