Ewan McGregor será personagem de Philip Roth

Pastoral Americana, romance que valeu a Philip Roth o Pulitzer em 1997 e se tornou num dos seus textos mais emblemáticos, vai ser adaptado ao cinema

Ewan McGregor será Seymor Levov, o “Sueco”, o empresário louro, judeu, o americano optimista de Newark
Foto
Ewan McGregor será Seymor Levov, o “Sueco”, o empresário louro, judeu, o americano optimista de Newark

Parecia um projecto perdido mas ganhou novo impulso e agora apresenta-se como inadiável.

Pastoral Americana, romance que valeu a Philip Roth o Pulitzer em 1997 e se tornou num dos seus textos mais emblemáticos, vai ser adaptado ao cinema e o actor britânico Ewan McGregor será Seymor Levov, o “Sueco”, o empresário louro, judeu, o americano optimista de Newark que vê a sua vida transformar-se com os tumultos que mudaram a sociedade de New Jersey e se recusa a acreditar no fim de um tempo que lhe ensinaram ser o ideal, sustentado por valores que a própria filha vem questionar e contra os quais se rebela. Ele é o protagonista do romance que serviu a Philip Roth para questionar a identidade de um país, metáfora de um tempo que falhou na sua capacidade de tornar o sonho mais forte do que a segregação.  

O nome de McGregor junta-se agora ao de Philip Noyce, o realizador (Salt, 2010), e ao de John Romero, o autor do guião que demorou anos a ser escrito pela dificuldade de transformar em imagens a escrita de Roth. Não falta quem questione o que pode aí vir, mas ganhou a persistência de Noyce, que anda há mais de uma década a convencer produtores a financiarem-lhe ideia. O início das filmagens está marcado para 2015 e no que será mais um livro de Roth a dar filme, depois de A Mancha Humana (2003), realizado por Robert Benton, com Anthony Hopkins e Nicole Kidman ou Elegy (2008), adaptação do romance Animal Moribundo, da espanhola Isabel Coixet.

Para Ewan McGregor é mais uma interpretação de uma obra literária. Em 1996, esteve em Trainspotting, o filme de Danny Boyle, a partir do livro com o mesmo título de Irvine Welsh, e ainda este ano vai estrear a adaptação de Our Kind of Traitor, de John Le Carré. Em 2012 esteve em Corrections, inspirado no romance de Jonathan Franzen, para a HBO mas o episódio piloto foi só isso mesmo, um projecto que acabou por não avançar.