Apuramento da Argélia na cabeça de Slimani

Avançado do Sporting marcou o golo do empate (1-1) com a Rússia que permite à selecção africana passar pela primeira vez à fase seguinte.

Foto
O festejo de Slimani Maxim Shemetov/Reuters

Islam Slimani é muitas vezes visto como um avançado de uma nota só: o seu excelente jogo de cabeça. Não é bem assim. O avançado argelino do Sporting é um jogador voluntarioso, sabe usar o físico e há bem pior que ele a segurar uma bola. Já havia provado ter outros argumentos, no jogo com a Coreia do Sul, em que marcou um golo e fez uma assistência, mas nesta quinta-feira não foi com os pés que resolveu. Tal como tantas vezes fez no Sporting esta época, Slimani subiu mais alto que todos e marcou de cabeça o golo que deu o empate com a Rússia (1-1) e que enviou a Argélia, pela primeira vez na sua história, para a segunda fase de um Mundial de futebol.

O avançado argelino não começou este Mundial como titular, mas Vahid Halilhodzic apostou nele para os dois jogos seguintes e não se arrependeu. A cotação de Slimani vai subindo e esta Argélia de sabor português — estão lá o academista Halliche e o portista Ghilas — vai-se mostrando um adversário incómodo. Depois de terminar em segundo do Grupo H, beneficiando também da derrota da Coreia com a Bélgica, vai agora defrontar a Alemanha nos oitavos-de-final, oportunidade para vingar a desfeita do Mundial de 1982, em que os alemães combinaram uma vitória com a Áustria que deixou a selecção magrebina fora da fase seguinte.

A Argélia não teve vida fácil na Arena da Baixada, em Curitiba. A Rússia entrou no jogo disposta a lutar pelo único resultado que lhe interessava, a vitória, e, aos 6’, já estava em vantagem. O cruzamento de Shatov encontra a melhor resposta possível na cabeça de Kokorin. O avançado do Dínamo de Moscovo eleva-se na pequena área da Argélia e coloca a equipa de Fabio Capello na frente do marcador. Este era o único resultado que não interessava aos argelinos, mas, após uma ténue reacção, foram os russos a estar perto do 2-0, com um remate de fora da área de Shatov.

Ainda antes do intervalo, Slimani ameaçou duas vezes a baliza de Akinfeev. Mas o guarda-redes que mais brilhou foi M’Bohli, que parou um remate de Samedov logo no início da segunda parte, uma intervenção com o mesmo valor de um golo na baliza contrária. Aos 59’, o momento do jogo. Um livre marcado por Djabou junto à linha de fundo faz a bola voar até à pequena área da Rússia, onde Ankinfeev falha a intercepção e Slimani é mortal. Foi o que bastou para a Argélia conseguir ultrapassar a fase de grupos depois de três tentativas falhadas. E foi às custas de mais uma selecção europeia, que, por acaso, vai receber o próximo Mundial.

Ficha de jogo, estatísticas e comparação de jogadores