Nico Rosberg passou o pai e está mais perto de o igualar

Piloto alemão somou, na Áustria, a sua sexta vitória na F1 e alargou a sua vantagem na luta pelo título mundial.

Nico Rosberg foi o melhor no GP da Áustria
Foto
Nico Rosberg foi o melhor no GP da Áustria Joel Klamar / AFP

Ainda é muito cedo para dizer que Nico Rosberg será o segundo piloto a igualar o pai como campeão mundial de Fórmula 1 – o primeiro foi Damon Hill, campeão em 1996 e filho Graham Hill (1962 e 1968). Mas o alemão, de 28 anos, deu neste domingo mais um passo importante. Venceu o Grande Prémio da Áustria e aumentou a sua vantagem no Mundial de pilotos para 29 pontos sobre o companheiro de equipa Lewis Hamilton.

Nico Rosberg venceu uma corrida pela sexta vez na sua carreira, uma vitória cheia de simbolismo, porque lhe permite ultrapassar os cinco triunfos do pai na F1, o finlandês Keke Rosberg, campeão mundial em 1982.

O triunfo na Áustria (o terceiro nesta temporada) permite também a Rosberg ganhar ascendente matemático e psicológico sobre Lewis Hamilton. “29 pontos é uma vantagem interessante”, admitiu Rosberg, no final da corrida, em que a Mercedes obteve a sexta "dobradinha" da temporada e a sétima vitória em oito corridas.

A superioridade da Mercedes deixa a luta pelo título praticamente entregue aos seus dois pilotos. Na Áustria, a Williams brilhou na qualificação, ao conseguir os dois primeiros lugares, mas durante a corrida tudo voltou à “normalidade”. Os Mercedes aproveitaram a paragem nas boxes para desalojarem os Williams da liderança.

Lewis Hamilton até fez uma recuperação notável, ao sair do nono lugar para acabar em segundo. Mas agora tem a pressão do seu lado, perante um Rosberg que tem menos vitórias (três contra quatro) mas tem sido muito mais regular. Ou seja, por um lado, o britânico sabe que ainda tem muitas provas (11) para recuperar a desvantagem, mas, por outro lado, todos sabem que Hamilton é muito impulsivo, o que poderá potenciar erros quando estiver sob pressão para recuperar.

O GP da Áustria ficou ainda marcado pelo primeiro pódio do finlandês Valtteri Bottas (Williams), que ficou no terceiro lugar, à frente do companheiro de equipa, Felipe Massa, e do espanhol Fernando Alonso (Ferrari). Bem pior voltou a estar a Red Bull, que a correr em casa (no seu país e no seu circuito) viu Sebastian Vettel desistir e Daniel Ricciardo ficar-se pelo oitavo lugar. Ou seja, a vitória do australiano no Canadá parece ter sido mais um acidente do que uma verdadeira recuperação de ritmo da escuderia que dominou os últimos quatro campeonatos.

À entrada do segundo semestre da Fórmula 1, e mesmo com algumas melhorias da Ferrari e da Williams, está visto que o resto do campeonato se resumirá a um apetecível duelo Hamilton-Rosberg, até porque são dois pilotos que já se conhecem desde os tempos das categorias inferiores.

Classificações
GP da Áustria

1.º    N. Rosberg     Mercedes        1h27m54,976s
2.º    L. Hamilton    Mercedes        a 1,932s
3.º    V. Bottas Williams a 8,172s
4.º    F. Massa Williams a 17,358s
5.º    F. Alonso        Ferrari     a 18,553s
?6.º    S. Pérez   Force India     a 28,546s
7.º    K. Magnussen McLaren a 32,031s
8.º    D. Ricciardo   Red Bull a 43,522s
9.º    N. Hülkenberg        Force India     a 44,137s
10.º  K. Räikkönen Ferrari     a 47,777s
11.º  J. Button McLaren a 50,966s
12.º  P. Maldonado Lotus       a 1 volta
13.º  A. Sutil   Sauber     a 1 volta
14.º  R. Grosjean    Lotus       a 1 volta
15.º  J. Bianchi       Marussia a 2 voltas

Mundial de pilotos
1.º    N. Rosberg (Ale)    165 pts
2.º    L.Hamilton (Gbr)   136
3.º    D. Ricciardo (Aus) 83

Mundial de construtores
1.º    Mercedes        301 pts
2.º    Red Bull 143
3.º    Ferrari     98


Próxima prova: GP de Inglaterra, a 6 de Julho

Sugerir correcção