Hospital de S. João dá três semanas à tutela para apresentar soluções

O estado da aluna transferida para o Hospital de São João é considerado muito grave
Foto
O estado da aluna transferida para o Hospital de São João é considerado muito grave Paulo Ricca/arquivo

Directores clínicos e chefes de unidades intermédias do hospital vão manter-se em funções. Na próxima semana haverá uma reunião do Conselho de Administração.

O presidente do Conselho de Administração (CA) do Hospital de S. João, António Ferreira, revelou este sábado que os 66 chefias do hospital, que se demitiram esta semana por considerar estar em risco a qualidade do serviço prestado aos doentes, vão manter-se em funções durante as próximas três semanas.

A decisão foi tomada este sábado de manhã, durante a qual António Ferreira informou as lideranças intermédias das estruturas intermédias de gestão e as direcções de serviços clínicos e não clínicos das soluções que o Ministério da Saúde se comprometeu a apresentar até ao dia 15 de Julho.

De acordo com um comunicado lido pelo gestor do hospital, “as lideranças intermédias avaliaram favoravelmente as mesmas soluções” e “aguardam a concretização das mesmas por parte do Governo nos prazos definidos pela tutela, a maioria das quais até ao dia 15 de Julho”.

Segundo o gestor, as chefias demissionárias “manifestam total confiança no seu Conselho de Administração, nomeadamente na concretização das medidas propostas” e “realçam a coesão de todos os colaboradores do centro hospitalar neste”.

Para a semana está marcada uma reunião do Conselho de Administração.

Sugerir correcção