Venda de viagens online cresce 9% este ano em Portugal e Espanha

O número de agências de viagens virtuais na Península Ibérica excede o de lojas tradicionais.

Foto
Consumidores usam mais a internet em detrimento das lojas físicas Paulo Pimenta

Depois de no ano passado as vendas de viagens online terem alcançado os 9730 milhões de euros na Península Ibérica, estima-se que este ano receitas subam 9%. Estes resultados ilustram a crescente passagem dos utilizadores dos canais tradicionais para os online.

Segundo o estudo sobre o comércio electrónico de viagens em Espanha e Portugal publicado esta sexta-feira pela Informa D&B, estima-se que a receita relativa à venda de viagens através da internet nestes dois países, no final deste ano, chegue aos 10.590 milhões de euros. O barómetro adianta ainda que existem expectativas que em 2015 se obtenha resultados ligeiramente mais elevados.

Mesmo depois de no ano passado se ter registado uma queda na procura turística interna, quer em Portugal, quer em Espanha, verificou-se um aumento de 5,6% no número das receitas em viagens compradas online desde 2012.

O relatório apurou ainda que o número de agências de viagens virtuais na Península Ibérica é superior ao número das habituais lojas tradicionais. Em 2013, existiam 3110 agências de viagens online em Espanha, valor que fica muito além das lojas tradicionais contabilizadas (e que requerem mais custos), que eram 400 no ano passado.

Em Portugal o cenário não é muito diferente do país vizinho: no mesmo período em análise existiam 280 agências de viagens virtuais em território nacional e 45 lojas de tradicionais.

Os portais online em Espanha registaram um crescimento no negócio  de 5,8%  em 2013, tendo facturado 8535 milhões de euros. Em Portugal o número de vendas também cresceu, mas de forma mais moderada, a facturação situou-se nos 1195 milhões de euros, o que representa um crescimento de 4,8% face a 2013.

As vendas a partir do próprio site na internet representaram 41,6% da facturação total das companhias aéreas. No conjunto do mercado ibérico, as receitas dessas vendas situaram-se nos 4049 milhões de euros, o que representa um crescimento de 2,4% em relação ao ano passado.

As expectativas positivas esperadas no crescimento da actividade turística, aliadas ao aumento da facilidade em aceder à internet por parte dos utilizadores, irá possibilitar, de acordo com a D&B, “uma aceleração do ritmo de crescimento do comércio eletrónico de viagens no mercado ibérico, tanto a curto como a médio prazo.”

Texto editado por Luís Villalobos