Seguro: “Habituem-se, que isto mudou”

Costa não vê como se pode fazer alteração dos estatutos do PS sem um congresso.

Foto
Miguel Manso
Seguro, visivelmente irritado com as perguntas dos jornalistas,  classificou como “históricas” as propostas que apresentou à Comissão Nacional. Garantiu ainda que não se demite.

O secretário-geral do PS anunciou que vai marcar eleições para as federações distritais e  abrir um processo de discussão interna para que os militantes possam escolher, em primárias abertas a militantes e a simpatizantes, quem deve ser o candidato do PS a primeiro-ministro nas próximas legislativas. Seguro propôs assim ao partido que nas próximas legislativas estreie uma solução bicéfala, abrindo a hipótese de haver um secretário-geral e um candidato a primeiro-ministro, caso o vencedor das primárias não seja o líder do partido.

Seguro quer também reduzir o número de deputados na Assembleia da República, dos actuais 230 para 180.

Já António Costa considerou interessantes as propostas de Seguro para o partido e acrescentou que não vê maneira de alterar os estatutos do PS sem a realização de um congresso.

Os estatutos do PS prevêem a realização de eleições directas (só para militantes) e primárias, que também permite o voto aos simpatizantes do partido, categoria que está prevista e para a qual existem registos dentro do PS. Porém, as primárias nunca foram regulamentadas.