Um editor por dia, um livro por dia

Marta Ramires, Casa das Letras, Leya.

Fotogaleria
DR
Fotogaleria

No dia em que abre a Feira do Livro de Lisboa, a Casa das Letras apresenta às 19h o novo romance de Domingos Amaral, Um Casamento de Sonho. E é exactamente esse livro que Marta Ramires, editora da Casa das Letras, sugere aos leitores do PÚBLICO. “Este é um livro que diz respeito às pessoas”, diz Marta Ramires, considerando que a nova obra de Domingos Amaral é “um retrato político e social do Portugal dos últimos 20 anos”.

Para a editora, Um Casamento de Sonho contrasta com as últimas obras de Domingos Amaral. “Um Casamento de Sonho é uma leitura mais contemporânea com a qual muitas pessoas se identificarão, em especial a geração de 90”, diz Marta Ramires. “É uma obra diferente de O Retrato da Mãe de Hitler ou Enquanto Salazar Dormia, este é o Portugal recente”, continua a editora para quem Domingos Amaral “está numa fase mais madura na sua carreira”. Os outros livros do autor ou são romances históricos ou quando são contemporâneos costumam ter sempre histórias ligadas por várias gerações.

"Esta é a história de funcionários liberais que vêem o seu mundo ruir não só por causa da situação económica do país, mas também pelo facto de verem alguns casamentos felizes chegarem ao fim pela revelação de segredos", destaca Marta Ramires, 40 anos, editora na Casa das Letras desde 2006. 

A Casa das Letras é uma chancela do grupo Leya e tem um catálogo generalista de ficção e não ficção. Dos autores editados, portugueses e estrangeiros, Marta Ramires destaca ainda Francisco Moita Flores (que dará uma sessão de autógrafos na Feira do Livro) e o japonês Haruki Murakami.