DM2, um edifício que voltou ao século XIX

Fotogaleria

A dois passos do Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, o Edifício D. Manuel II (DM2) ganhou uma nova vida. A equipa de arquitectos composta por Diogo Brito, Rodrigo Vilas-Boas, Francisco Lencastre, Francisca Santos e Lourenço Menezes Rodrigues, do gabinete portuense OODA, projectou uma reabilitação pouco comum. Datado do século XIX, este edifício começou por ser uma habitação única; contudo, numa alteração ocorrida no final do século XX, foi dividido por pisos independentes dedicados a comércio e serviços. Regressou, agora, à sua função original de habitação integral, “recuperando os traços de identidade ocultados, reinterpretando elementos tradicionais e dotando o edifício de um novo sentido de habitabilidade contemporânea com um programa de tipologias ajustado às necessidades de mercado actuais”, lê-se na descrição do projecto. O espaço que se esconde nas traseiras, realçado pelas fotografias de João Morgado, é o segredo mais bem guardado do DM2.

Sugerir correcção