Maior dinossauro de sempre encontrado na Argentina

Nova espécie teria o peso equivalente a 14 elefantes e a altura de um edifício de sete pisos

Foto
Um investigador posa ao lado do fémur do saurópode recentemente descoberto na Patagónia argentina Museo Egidio Feruglio

Quarenta metros de comprimento e um peso equivalente ao de 14 elefantes africanos: uma equipa de cientistas do Museu Paleontológico Egidio Feruglio, na Patagónia argentina, descobriu os restos fossilizados de uma nova espécie de dinossauro que acreditam ser a maior do mundo identificada até agora.

Trata-se de um achado excepcional, tanto pelas suas dimensões e quantidade de fósseis como pelo elevado estado de preservação dos mesmos, adiantaram fontes daquele museu ao jornal espanhol El Mundo.

O dinossauro é um herbívoro, da família dos saurópodes, de cauda e pescoço longos e crânio pequeno, com uma massa corporal de 77 toneladas, inferida a partir do comprimento e diâmetro do fémur. Terá vivido há uns 90 ou 100 milhões de anos, no período do Cretáceo Superior, a recta final da era dos dinossauros.

A descoberta produziu-se por acaso, segundo o diário argentino Clarín: há um ano, um trabalhador rural encontrou os restos num rancho em La Flecha, na província argentina de Chubut. Depois de vários meses de trabalho, os paleontólogos conseguiram recuperar o exemplar em muito bom estado e revelaram as primeiras imagens da descoberta.

“É um verdadeiro tesouro paleontológico”, disse José Luis Carballido, especialista em dinossauros do Museu Egidio Feruglio ao El Mundo. “Havia muitos restos e estavam praticamente intactos, o que não acontece frequentemente. Na verdade, os restos de titanossauros [grupo particular de saurópode que se notabiliza pela sua dimensão colossal] conhecidos até agora são escassos e fragmentários.”

O novo achado produziu mais de 200 fósseis, segundo aquele jornal. Os investigadores encontraram parte do pescoço e grande parte do dorso, a maioria das vértebras da cauda e membros frontais e posteriores, entre outros ossos. Os restos correspondem a sete exemplares adultos.

Numa imagem divulgada pelo museu, pode constatar-se que uma perna do novo saurópode mede sensivelmente o mesmo que uma girafa; um tiranossauro parece pequeno a seu lado; um humano faz figura de formiga. A nova espécie tem cerca de cinco toneladas mais do que o Argentinosaurus descoberto em 1987, também num rancho argentino, que até agora era o maior dinossauro conhecido. O novo saurópode teria 20 metros de altura, o equivalente a um edifício de sete andares, disseram os investigadores à BBC News. Apesar da sua envergadura, ainda não têm nome.

O acesso ao site do Museu Paleontológico Egidio Feruglio tornou-se impossível nas últimas horas, presumindo-se que a novidade terá feito disparar o número de visitas ao mesmo, paralisando-o.