Suspeito de duplo homicídio em S. João da Pesqueira está em fuga há um mês

Buscas no mato não permitiram localizar Manuel Baltazar, suspeito de matar a sogra e a tia da ex-mulher.

Foto
Paulo Pimenta

O mato alto e os declives acentuados têm dificultado as buscas ao homem suspeito de ter matado duas mulheres e ferido outras duas em S. João da Pesqueira, há um mês, disse esta sexta-feira à Lusa fonte da GNR.

Entre Valongo dos Azeites e Trevões, onde o homem de 61 anos está a ser procurado, distam dez quilómetros em linha recta, numa zona com muitos esconderijos possíveis para quem conhece o terreno. "Numa fraga ou mesmo nas vinhas, que começam a ter vegetação, é fácil uma pessoa esconder-se por algum tempo", disse a mesma fonte, acrescentando que mais difícil ao fugitivo será encontrar alimento para sobreviver durante um mês.

A coordenação das operações é da responsabilidade da Polícia Judiciária, mantendo-se a GNR no terreno a fazer o que lhe é solicitado, como o patrulhamento a cavalo. Na primeira semana, uma centena de homens estiveram na zona.

Desde o dia (17 de Abril) dos homicídios, os órgãos de comunicação social noticiaram três avistamentos do homem, que é suspeito de ter matado, com disparos de caçadeira, a ex-sogra e uma tia da ex-mulher, e de ter ferido a ex-mulher e a filha.

"Também já foi visto em Coimbra, em Tondela, em S. Pedro do Sul, em Foz Côa, em Penedono e em Moimenta da Beira. Mas, às vezes, não passam de boatos ou de confusões que as pessoas fazem", referiu a mesma fonte.

Os crimes aconteceram na quinta-feira antes da Páscoa, em Valongo dos Azeites, junto à casa da ex-mulher do suspeito. O homem estava com pulseira electrónica e proibido de contactar a ex-mulher, no âmbito de um processo de violência doméstica.