BBVA deverá sair de Portugal e colocar à venda os 83 balcões

Negócio do banco em território nacional acumulou perdas de 133 milhões em três anos.

Foto
BBVA vai vender toda a operação que detém em Portugal REUTERS/Susana Vera

O BBVA vai vender a sua operação em Portugal, depois de perdas nos últimos três anos que, até Setembro, chegaram aos 133 milhões de euros. A notícia é avançada pelo El País, na sua edição impressa desta quinta-feira, e segue-se ao anúncio recente da saída do britânico Barclays, que também se prepara para vender ou mesmo suspender o seu negócio em Portugal.

De acordo com o diário espanhol, a operação portuguesa “não oferece a rentabilidade esperada” e, por isso, o banco põe fim a 23 anos de presença em Portugal, onde tem 83 balcões. A possibilidade de venda do BBVA em Portugal já tinha sido avançada pelo Jornal de Negócios, que também deu conta da saída do Deutsche Bank. Informação que o banco alemão veio depois desmentir.

A imprensa espanhola escreveu recentemente que o BBVA — com uma quota de 1% em Portugal — terá contratado o banco de investimento Nomura para encontrar candidatos à compra do negócio. A instituição financeira chegou a ter 150 balcões em Portugal. No entanto, nos últimos anos tem reduzido a sua operação a nível nacional. Com os sucessivos encerramentos de agências, em 2012 contava apenas com 86 agências, que passaram a 83 no final do ano passado.

Segundo o jornal espanhol, depois destes encerramentos, o negócio do BBVA em Portugal passou a representar 0,91% dos activos totais cdo grupo até Dezembro do ano passado e 0,56% dos passivos.

De acordo com dados do El País, há dois anos o BBVA tinha 758 trabalhadores em Portugal, o que significou uma subida expressiva face aos 116 postos de trabalho registados um ano antes. Não são  conhecidos dados referentes a 2013. 

Em 2011, o banco já registava perdas de 17 milhões de euros, que acabaram por se agravar no ano seguinte para 58 milhões de euros. Em 2013, apesar de serem menores, o BBVA registou ainda prejuízos de 57,5 milhões de euros. O que soma um total de 133 milhões de euros em perdas nos últimos três anos, refere o mesmo diário.

Contactado pelo PÚBLICO, o BBVA respondeu que "não comenta rumores".

O presidente do Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas, Rui Riso, "não quer acreditar que a notícia seja verdade" e que agora todos "os bancos estrangeiros decidam abandonar Portugal", declarou ao PÚBLICO. O sindicalista é ainda da opinião que os bancos estrangeiros ficam em Portugal quando têm lucro e decidem sair quando a situação fica menos favorável, alertando que "há alguma coisa aqui que precisa de ser moralizada". O sindicato mostra ainda grande preocupação com o futuro dos trabalhadores, que, segundo Rui Riso, ficam "angustiados e receosos com esta situação". 

Há precisamente uma semana, foi a vez de o Barclays anunciar um profundo plano de reestruturação que vai ter impactos nas 147 agências que tem em Portugal e nos seus 1600 trabalhadores. A intenção do banco britânico é alienar a operação em território nacional. A decisão faz parte de uma estratégia de enfoque em negócios rentáveis e com potencial de crescimento e culminará, só este ano, no despedimento de 14 mil pessoas.