A oitava derrota europeia do Benfica

Os “encarnados” foram batidos na final da Liga Europa pelo Sevilha, nos penáltis.

Jorge Jesus perdeu uma segunda final europeia consecutiva, juntando-se a Marcelo Lippi e Héctor Cúper
Foto
Jorge Jesus perdeu uma segunda final europeia consecutiva, juntando-se a Marcelo Lippi e Héctor Cúper Alessandro Garofalo/Reuters

São vários os números que marcam a noite do Benfica. A equipa de Jorge Jesus perdeu a final da Liga Europa frente ao Sevilha, no desempate por grandes penalidades. Após o 0-0 no tempo regulamentar e no prolongamento, os andaluzes impuseram-se por 4-2 nos penáltis.

8 – as derrotas do Benfica num total de dez finais europeias disputadas. Desde que foram bicampeões europeus (1961-1962) que os “encarnados” não voltaram a erguer um troféu europeu. Perderam em 1963, 1965, 1968, 1988 e 1990 (Taça dos Clubes Campeões Europeus) e em 1983, 2012 e 2013 (Taça UEFA/Liga Europa). O Benfica iguala o registo de oito finais perdidas pela Juventus nas competições organizadas pela UEFA. Os bianconeri foram batidos na Taça dos Clubes Campeões Europeus/Liga dos Campeões em 1973, 1983, 1997, 1998 e 2003, para além de terem perdido a Taça UEFA em 1995 e a Taça das Cidades com Feira em 1965 e 1971.

16,6 – milhões de euros é o montante total de prémios monetários acumulado pelo Benfica nas provas europeias esta época. Os “encarnados” encaixaram 8,6 milhões de euros pela presença na fase de grupos da Liga dos Campeões e 3,5 milhões de euros pelas três vitórias e um empate alcançados. Depois passaram para a Liga Europa, onde receberam 200 mil euros pela presença nos 16 avos-de-final, 350 mil euros pelos oitavos-de-final, 450 mil euros pelos “quartos” e um milhão de euros pelas meias-finais. Ser finalista derrotado valeu 2,5 milhões de euros. Ao bolo total juntar-se-á uma verba dos direitos televisivos.

19 – jogos disputados pelo Sevilha na Liga Europa 2013-14, tendo começado logo em Agosto na terceira pré-eliminatória, onde afastou o Mladost Podgorica. Na fase de grupos os andaluzes tiveram por adversário o Estoril-Praia e nos quartos-de-final encontraram outra equipa portuguesa, o FC Porto.

2 – clubes com um registo 100% vitorioso em finais europeias (excluindo a Supertaça), tendo disputado três ou mais: Sevilha e Feyenoord. Os andaluzes conquistaram a Taça UEFA/Liga Europa em 2006, 2007 e 2013. Os holandeses sagraram-se vencedores da Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1969-70, tendo-lhe juntado duas Taças UEFA (1974 e 2002).

83 – percentagem de passes correctos de Luisão, a mais elevada entre os 22 titulares na final de Turim. Garay foi o segundo mais eficaz, com 82%.

3 – treinadores que perderam finais europeias em anos consecutivos (sem contar com a Supertaça), de acordo com a Infostrada Sports, empresa holandesa de estatísticas do desporto. Para além de Jorge Jesus, que viu fugir-lhe a Liga Europa relativa aos anos de 2012 e 2013, pertencem a este grupo Marcelo Lippi (Liga dos Campeões 1997 e 1998, ao serviço da Juventus) e Héctor Cúper (Liga dos Campeões 2000 e 2001, quando orientava o Valência).