Chegou a hora da verdade para RC Lousã e Groundlink Caldas RC

Disputa-se neste sábado, no Estádio Universitário de Lisboa, a final da I Divisão

Foto
António Maltez

De um lado estará uma das equipas com mais tradição no râguebi nacional, do outro o clube com o projecto mais inovador em Portugal. No final, apenas um fará a festa. Neste sábado, a partir das 16h00, no Estádio Universitário de Lisboa, RC Lousã e Groundlink Caldas RC discutem o título de Campeonato Nacional da I Divisão que terá como prémio a subida à Divisão de Honra.

Terminaram a Fase Regular separados por apenas um ponto e não deixaram dúvidas durante as 18 jornadas que eram as equipas mais fortes. Agora, após afastarem nas meias-finais o Benfica e o CR Évora, o RC Lousã e o Groundlink Caldas RC terão os 80 minutos mais importantes da temporada.

Cláudio França, capitão da formação do Oeste, considera que “numa final não há favoritos”, mas garante que o Caldas RC viajará para Lisboa com “a mentalidade de ganhar”. Com a equipa “quase na máxima força” – há apenas duas lesões que “já vêm do início da época” -, o atleta caldense destaca no adversário os “três-quartos rápidos” e o “talonador que marca muitos ensaios”.

Foto

O “15” do Groundlink Caldas considera ainda que o empate e a derrota frente ao RC Lousã na Fase Regular funcionarão como “um motivo de força para a final” que será “um jogo bem disputado, muito equilibrado e decidido por detalhes”.

Foto

Do lado da equipa beirã, José Baptista Almeida garante que os jogadores do RC Lousã estão “bastante confiantes”. O três-quartos lembra que a sua equipa nesta época só perdeu frente ao CDUL para a Taça de Portugal, num jogo onde a exibição dos lousanenses recebeu “elogios” dos “universitários” de Lisboa.

Numa apreciação ao rival, o jogador de 23 anos destaca “o ‘pack’ avançado muito poderoso” e os “três-quartos experientes”. “Jogam muito em força e com o peso. Sempre que possível vamos tentar evitar que entrem no ponto de conforto deles”, afirma em declarações ao P3 Râguebi.

“Sabemos que o Caldas tem valor, mas temos uma confiança extra pelos resultados que conseguimos ao longo da época”, conclui José Baptista Almeida que destaca a união que se vive na Lousã em torno da equipa: “Neste ano batemos todos os recordes de inscritos. Conseguirmos unir a vila em torno do clube.”