Portugal é o terceiro país europeu com carros com menos CO2

Quase três quartos dos carros vendidos em 2013 são a gasóleo. Apenas 166 são eléctricos.

Fotogaleria
Fotogaleria

Portugal mantém-se como um dos países da União Europeia com automóveis que menos contribuem para o aquecimento global. Mas caiu para terceiro lugar num ranking em que vinha ocupando a primeira ou segunda posição desde 2007. À sua frente passaram a Grécia, afectada pela crise, e a Holanda, um corredor de fundo para a mobilidade sustentável.

Cada carro particular novo vendido em 2013 no país tinha, em média, um nível de emissões de 112,2 gramas de CO2 por quilómetro rodado (g/km), segundo um relatório divulgado esta semana pela Agência Europeia do Ambiente. Há sete anos, a média era de 144,2 g/km. Ou seja, dos escapes de um carro novo hoje em Portugal sai quase menos um quarto de poluição carbónica do que em 2007.

Os dados da Agência Europeia do Ambiente compõem uma radiografia dos automóveis comprados em cada Estado-membro da União Europeia (UE). Em Portugal, quase três em cada quatro carros novos (73%) são movidos a gasóleo. É o segundo país com a maior taxa, juntamente com a Irlanda e a seguir ao Luxemburgo (74%). No extremo oposto está  Chipre, com apenas 17% de carros novos a gasóleo.

Dos restantes automóveis novos em Portugal, 26% utilizam exclusivamente gasolina e 1% apenas movem-se de outra forma – a maior parte (0,8%) a gás de petróleo liquefeito (GPL) e uma pequena fatia (0,2%) só com electricidade.

PÚBLICO -
Foto

Em valores absolutos, os números são um desconsolo para quem anseia pela substituição dos combustíveis fósseis na mobilidade. Dos cerca de 105.324 carros vendidos em 2013 em Portugal, apenas 166 são eléctricos, 41 são híbridos, 16 usam biometano e um etanol.

Em toda a Europa, o número de veículos eléctricos tem vindo a aumentar. Mas ainda representam um grão de areia nas vendas totais – apenas 0,2%. O maior impulso tem vindo de França, com 8875 carros eléctricos comercializados em 2013. A seguir vêm a Dinamarca (6027), Holanda (2600) e Reino Unido (2496). No total, os carros eléctricos novos (cerca de 25.000 em 2013) estão a aproximar-se dos híbridos (31.000).

As emissões dos carros novos em Portugal estão bem abaixo da média europeia, que foi de 127,0 g/km no ano passado. A redução tem sido constante em todos os países e neste momento a UE já cumpre uma meta que estava fixada para 2015, de uma média de emissões de 130 g/km. Ainda há, porém, muito caminho pela frente. Até 2021, as emissões têm de cair para 95 g/km, segundo um regulamento europeu aprovado em 2009.

A Agência Europeia do Ambiente atribui a descida à evolução da tecnologia e ao facto de se venderem mais carros a gasóleo (52%) do que a gasolina (45%). Curiosamente, no país que neste momento tem os carros novos menos poluentes – a Holanda (109,1 g/km) – o gasóleo parece não convencer muito, e sete em cada dez automóveis ligeiros vendidos são a gasolina. Além disso, a proporção de carros eléctricos e híbridos chega a 3,4% – a maior da UE.

Seja como for, em termos de emissões de CO2, a gasolina está cada vez mais próxima do gasóleo. A diferença, que era de 17,1 g/km em 2000, baixou para 1,5 g/km  em 2013, segundo a Agência Europeia do Ambiente.