DR
Foto
DR

A Sexta de Bicicleta de João Santos

A bicicleta é um meio de transporte habitual para João Santos, físico médico no IPO. A família também acompanha-o neste vício e deixar o carro na garagem é sempre motivo de felicidade

O João é físico médico no Instituto de Oncologia do Porto (IPO). Para saber mais sobre a sua profissão, que parece tão peculiar, podes consultar a Sociedade Portuguesa de Física. Desloca-se de bicicleta no Porto, juntamente com a Joana Lencart, entre Antunes Guimarães e o IPO. Durante a viagem, acompanha à escola a Laura de dez anos e o Luís de oito — eus filhos — sempre de bicicleta, claro está! Quando a Leonor — a filha mais velha, com quinze anos — era mais nova, deslocava-se também de bicicleta, até à escola. A família chegou a ir toda de bicicleta até Lavra, à praia. O João utiliza este veículo em contexto urbano há cerca de dez anos e sente sempre prazer quando repara, ao fim do dia, que o carro não saiu da garagem.

Profissão, idade, localização, filhos?

Físico médico, 47 anos, Ramalde, Porto, 3 filhos.

PÚBLICO -
Foto

O que te levou a começar a usar a bicicleta para te deslocares?

PÚBLICO -
Foto

A sensação de independência do combustível; depender apenas de mim para me locomover na cidade; a facilidade de cumprimento dos horários, uma vez que uma bicicleta só se atrasa se tiver um problema mecânico; pelo consumo de energia extra que faz com que não apareçam uns quilos a mais sem serem convidados; a rapidez em horas de ponta; manter a forma física; a sensação de bem estar e a melhoria do humor logo pela manhã, etc. São inúmeros os motivos pelos quais se deve andar de bicicleta, não só à sexta-feira mas todos os dias.

De que formas usas a bicicleta à sexta-feira?

Normalmente, durante a semana, uso a bicicleta para me deslocar para o trabalho, onde existem parques de bicicletas (infelizmente ainda muito pouco aproveitados). Ocasionalmente, faço desvios para passear um pouco mais ou para fazer alguma compra. De caminho para o trabalho, e sempre que posso, levo os meus filhos mais novos para a escola, nas suas bicicletas próprias. Transportes públicos com a bicicleta não uso, pois apenas me desloco na cidade, e, aí, vou de bicicleta para todo o lado.

Quando te inscreveste no Sexta de Bicicleta?

Há pouco tempo. Não teve exatamente a ver com a minha opção de usar a bicicleta na cidade, uma vez que já a uso na cidade há perto de 10 anos, quando o mercado ainda não conseguia oferecer uma bicicleta citadina. Na altura, ainda em 2007, tive que optar por outra BTT, que uso agora exatamente para o que ela serve: BTT. Felizmente esta situação mudou muito nos últimos anos. Que tipo de bicicleta ou equipamento? Uma bicicleta de cidade, tipo holandesa, com 30 anos, e comprada em segunda mão. Tenho outras para praticar ciclismo desportivo, mas, normalmente, só as uso nessas situações.

O que muda na tua vida nas sextas-feiras em que levas a bicicleta contigo?

Sempre que uso exclusivamente a bicicleta mais de cinco dias seguidos, sexta-feira ou não, sinto-me mais leve (literalmente), mais bem disposto e sinto-me melhor comigo, com os outros e com o planeta. É sempre um prazer, quando chego ao fim do dia e vejo que o carro não saiu da garagem. Existem alguns mitos (sobre a utilização da bicicleta) que tenhas vencido? O de que havia sítios perigosos para andar de bicicleta. A não ser que seja proibido, circulo agora em qualquer lado, sem medo. Mesmo assim, para começar a andar na Estrada da Circunvalação, tive que a fazer num domingo de manhã cedo, sem muito trânsito.

O que poderia melhorar nos percursos que realizas?

A atitude de alguns ciclistas e automobilistas. Já se começa a sentir um maior respeito por parte dos automobilistas, provavelmente por causa das alterações ao novo código, mas ainda se vêem muitos ciclistas a desrespeitar a lei. Não se pode exigir respeito e não respeitar. As autoridades poderiam ter também uma atitude mais favorável aos meios de transporte ativos, como a bicicleta, mas isso, infelizmente, ainda não se faz sentir, a não ser no seu uso em lazer. Um momento em que te sentes mesmo bem a andar de bicicleta. Quando tenho algum tempo livre, sem hora certa para chegar a casa, e me posso desviar do meu percurso habitual apenas porque sim. Se estiver bom tempo, claro.

Uma pessoa da praça pública que gostarias de ver a andar de bicicleta e porquê?

Qualquer pessoa com visibilidade mediática e que use a bicicleta como transporte quotidiano e não apenas para a "fotografia". Especialmente que seja uma que os jovens tenham como modelo.

O que tens a dizer a quem diz que andar de bicicleta na sua cidade é impossível?

Para me acompanhar.