Torne-se perito

Valência cedeu final de Turim ao Sevilha nos descontos

Andaluzes perderam por 3-1, mas valeram os dois golos marcados em casa na primeira mão para garantir um bilhete para a final de Turim.

O médio camaronês Mbia, ao centro, acabou por ser a figura da partida
Foto
O médio camaronês Mbia, ao centro, acabou por ser a figura da partida Jaime Reina/AFP

O Estádio Mestalla tem sido um autêntico talismã para o Valência nesta edição da Liga Europa. O Basileia tremeu perante o ambiente quente criado pelos fervorosos adeptos “che”, nos quartos-de-final, desbaratando uma vantagem de 3-0 trazida da Suíça, e, nesta quinta-feira, foi a vez do Sevilha sentir que eram curtos os 2-0 obtidos há uma semana, na Andaluzia. E quase que o foram. A equipa da casa virou a eliminatória, mas acabou por cair com um golo nos instantes finais dos descontos. Foi por uma unha negra, mas será o Sevilha a decidir com o Benfica a final de Turim, no próximo dia 14.

Ao contrário do Basileia, os sevilhanos conhecem bem a atmosfera do Mestalla, mas não conseguiram evitar a pressão sufocante da equipa da casa, impulsionada pelos seus adeptos, na primeira meia-hora da partida. O Valência, com os portugueses João Pereira e Ricardo Costa como titulares, foi empurrando os andaluzes para a sua área e, logo aos 14’, abriu o marcador. Um grande trabalho na área do argelino Feghouli, que terminou nas redes da baliza defendida pelo português Beto (Daniel Carriço também foi titular).

O Mestalla ficou como que enlouquecido e os jogadores contagiados não deixavam o Sevilha respirar. Depois de algumas ameaças, aos 26’, o lateral esquerdo Bernat cruzou para a cabeça de Jonas, que apontou o segundo, com a bola ainda a embater em Beto antes de passar a linha de golo.

A eliminatória estava empatada e a partida acalmou bastante. A equipa valenciana não deixava de procurar o terceiro golo, mas com muito mais paciência. Aos 70’, seriam recompensados com o 3-0, na sequência de um canto, que acabou por deixar a bola à mercê do defesa central Mathieu, que não falhou.

E a festa valenciana já se fazia com convicção nas bancadas, quando, em período de descontos, o camaronês Stéphane Mbia calou abruptamente toda a gente, com o golo do Sevilha, que valeu um bilhete para Turim.

Sugerir correcção