Mariana Leme/Flickr
Foto
Mariana Leme/Flickr

25 Abril: muro na Avenida de Berna ganha obra colectiva

Muro da Universidade Nova vai ser pintado esta semana. Artistas escolhidos são Miguel Januário/kissmywalls, Diogo Machado/Add Fuel, Frederico Draw e Gonçalo Mar

O muro da Universidade Nova da Avenida de Berna, em Lisboa, vai ser pintado, esta semana, com o "olhar de uma nova geração" de artistas, no âmbito das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril de 1974.

A pintura do muro da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa é parte integrante do ciclo de conferências "A Revolução de Abril — Portugal 1974-75", que vai decorrer no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, entre 21 e 24 de Abril, organizado por aquela instituição.

A organização do ciclo de conferências contactou a plataforma Underdogs, que tem como responsáveis a francesa Pauline Foessel e o português Alexandre Farto, também conhecido como Vhils, pedindo-lhes que fizessem "uma selecção de artistas que representam a nova geração, sendo que muitos deles trabalham na rua".

Os escolhidos, adiantou Alexandre Farto em declarações à Lusa, foram Miguel Januário, com o projecto kissmywalls, Diogo Machado/Add Fuel, Frederico Draw e Gonçalo MAR. "Todos eles representam uma vertente diferente deste movimento, cada um deles trabalha com uma técnica diferente", referiu Alexandre Farto. Miguel Januário, também responsável pelo projecto 'maismenos', "é mais interventivo" e Diogo Machado, conhecido pelos trabalhos que faz de reinterpretação de azulejos tradicionais, "trabalha com 'stencil' [pintura com recurso a moldes]", Frederico Draw "trabalha mais o retrato" e Gonçalo MAR "com 'graffiti' mais clássico".

"Há vários pontos de vista diferentes aqui. A ideia é um novo olhar para o 25 de Abril desta nova geração", disse Alexandre Farto, considerando que o resultado final será "interessante", já que é algo "que fica para a cidade e para a universidade". O muro da FCSH, na Avenida de Berna, começa a ser pintado na terça-feira. A intervenção deverá durar quatro dias.

O ciclo de conferências "A Revolução de Abril — Portugal 1974-75" vai juntar alguns dos intervenientes "mais destacados", hoje com um maior "distanciamento" face aos acontecimentos, e também académicos e especialistas "que se têm destacado pela reflexão", disse à Lusa a historiadora Maria Fernanda Rollo, da organização.

Vasco Lourenço, Diogo Freitas do Amaral, Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Sampaio, António Guterres, Fernando Rosas, José Pacheco Pereira, Lídia Jorge, Mariano Gago, Pilar del Río e Mário Soares são algumas das personalidades que participarão nos quatro dias de debate organizados pelo Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, em parceria com o Teatro Nacional D. Maria II, a Fundação Mário Soares, a Câmara Municipal de Lisboa e a Associação 25 de Abril.

Sugerir correcção