Heino Kalis/Reuters
Foto
Heino Kalis/Reuters

Os dez deveres do desempregado, segundo Isabel Jonet

Os desempregados jamais devem usar as redes sociais. Podem encontrar por lá o Papa Francisco e enveredar por maus caminhos

  Os desempregados têm por dever principal trabalhar e não mandriar. Só o trabalho liberta. Devem acordar cedo, fazer ginástica e comer pouco.

 – Os desempregados devem rezar as matinas e as vespertinas, com sentimentos puros.

 – Os desempregados devem agradecer a Deus. Por não serem pobres. Ou se são pobres, por não serem miseráveis. Ou se são miseráveis, por não viverem no Uganda.

  Os desempregados não podem receber subsídio, pois isso torna-os moles, dependentes e com um agudo défice de empreendedorismo.

  Os desempregados jamais devem usar as redes sociais. Podem encontrar por lá o Papa Francisco e enveredar por maus caminhos.

  Os desempregados devem lavar os dentes com água de três dias.

  Os desempregados devem trabalhar como voluntários sob a estrita condição de nunca pedirem remuneração.

  Se alguma entidade insistir em remunerá-los apenas devem aceitar uma pequena quantia, inferior a dois euros, para poderem dar esmola.

  Os desempregados são europeus, por isso estão autorizados a ir a Lourdes a pé uma vez por ano.

10   Os desempregados existem para a caridade alheia, tal como os pobres. O seu futuro é o passado e o seu fim último é esperarem, limpinhos, com paciência, humildade e singela alegria. O país não seria mesmo sem eles.