Os drones que "parecem brinquedos" que caíram na Coreia do Sul vieram do Norte

Foto
Um dos drones caiu em Baengnyeongdo, uma ilha junto à fronteira com a Coreia do Norte Reuters

Os drones foram encontrados na segunda-feira, menos de uma hora depois de uma troca de tiros perto da fronteira marítima que os dois países inimigos disputam. Esta troca de tiros seguiu-se ao anúncio, por parte da Coreia do Norte, de que poderia realizar novos testes nucleares – Seul pediu aos habitantes das duas ilhas na zona fronteiriça disputada que se refugiassem em abrigos.

Segundo a agência noticiosa Yonhap, citando fontes não-identificadas do Governo de Seul (Sul), os drones voaram a partir do Norte. Imagens dos aparelhos foram divulgadas – são azuis e semelhantes, na cor e nas pinturas, aos drones que o Governo de Pyongyang mostrou numa parada militar no ano passado.

Segundo o jornal Telegraph, os drones em causa foram modificados para caírem em locais predeterminados, têm uma capacidade de voo relativamente curta e não conseguem transportar com eles qualquer espécie de armamento.

A imprensa estatal norte-coreana anunciou, no ano passado, que o líder, Kim Jung-un, supervisionara um exercício em que, diziam os media oficiais, se simulara um ataque de drones de "alta precisão" contra a Coreia do Sul.

Os especialistas, porém, disseram que os aparelhos encontrados na ilha são modelos antigos, tal como grande parte do vasto equipamento militar de Pyongyang.

"[Os drones] têm capacidade para fazer vigilância, mas não têm alta tecnologia e parecem um brinquedo. Nada têm a ver com produtos como os Predators ou os Global Hawk", disse Kim Hyoung-jong, professor de Ciberdefesa na Universidade da Coreia, em Seul.

Sugerir correcção
Comentar