Obras regressam à Avenida da Boavista na próxima segunda-feira

Os trabalhos vão dotar o troço entre a Rua de Agramonte e a Rua de Guerra Junqueiro do mesmo perfil que já foi aplicado nos extremos nascente e poente da via.

Foto
Paulo Pimenta

A 3.ª fase da requalificação da Avenida do Boavista, no Porto, vai avançar na próxima segunda-feira, mas desta vez não vai chegar a haver corte total de trânsito na artéria. Os trabalhos estendem-se entre a Rua de Agramonte e a Rua de Guerra Junqueiro e vão prolongar-se até Julho.

Circular na Avenida da Boavista vai voltar a ser mais complicado, mas, ao contrário do que aconteceu com as duas primeiras fases (no troço nascente, junto à Rotunda da Boavista e nas áreas adjacentes), desta vez, não será necessário encontrar percursos alternativos para percorrer a via. A Câmara do Porto optou por fazer circular o trânsito, nos dois sentidos, num dos lados da avenida enquanto intervém no outro. Assim, está previsto o corte das três faixas de rodagem que ligam a Foz à Rotunda da Boavista, fazendo-se a circulação, em ambos os sentidos, nas duas faixas no sentido Rotunda – Foz.

Além do estreitamento da via, no troço em obras, a autarquia avisa ainda para a proibição de parar e estacionar em ambos os lados da avenida, no troço compreendido entre a Rua de João de Deus e a Rua de Quinze de Novembro, durante o período previsto de obras – entre 7 de Abril e 15 de Julho.

Os trabalhos que vão agora arrancar enquadram-se na requalificação global da Avenida da Boavista, iniciada em 2008, com uma intervenção polémica no lado poente da via, orçada em 800 mil euros, já que a oposição acusou o então presidente Rui Rio de estar a preparar a via para o Circuito da Boavista. No final de Julho do ano passado, o executivo ainda liderado pelo social-democrata punha em marcha, de forma faseada, a intervenção em falta. Só em 2015 é que toda a extensão da via deverá estar concluída.

À semelhança do que já foi feito, o troço que irá agora sofrer obras vai receber um novo pavimento, uma ciclovia em cada sentido, novos contentores de lixo enterrados e novas infra-estruturas de águas, electricidade e telecomunicações. Junto aos passeios serão plantadas árvores e no centro da via existirá um separador, em granito.

O planeamento da empresa municipal GOP – Gestão de Obras Públicas, que está a realizar as obras, atira a conclusão dos trabalhos para Fevereiro de 2015. Depois da intervenção que deverá começar na próxima segunda-feira estão ainda previstas mais três fases de obra. A próxima, com arranque agendado para finais de Julho, irá abarcar o troço entre a Rua de Guerra Junqueiro e a Rua de António Cardoso. Segue-se, a partir de Novembro e até ao final do ano, a requalificação do troço compreendido entre as ruas de António Cardoso e de António Bessa Leite. A última fase, agendada para os meses de Janeiro e Fevereiro de 2015, estende-se entre as ruas de António Bessa Leite e O Primeiro de Janeiro.

O ex-presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, tinha a intenção de lançar a empreitada da Boavista no início de 2013, mas os trabalhos só começariam em finais de Julho desse ano, já em plena fase de pré-campanha eleitoral, e depois de o autarca ter pedido um empréstimo de três milhões de euros destinados, em parte, a financiar a intervenção do troço nascente da avenida. Rui Moreira herdou, por isso, a obra iniciada pelo seu antecessor, com a garantia de que pretendia cumprir o projecto e prazos já estabelecidos. A intervenção global da avenida deverá custar à autarquia sete milhões de euros.

Sugerir correcção