Estudantes, de qualquer parte do mundo, podem encontrar e reservar alojamento no Uniplaces Dani Danczuk/Flickr
Foto
Estudantes, de qualquer parte do mundo, podem encontrar e reservar alojamento no Uniplaces Dani Danczuk/Flickr

Uniplaces, o “Booking do alojamento universitário”

Quisemos saber o que aconteceu aos vencedores das anteriores edições do PNIC. A Uniplaces, que venceu em 2012, é uma plataforma que ajuda estudantes a encontrar casa em Portugal e Inglaterra. Expansão para Espanha está para breve

Como descreveriam a Uniplaces a quem nunca ouviu falar de vocês?

A Uniplaces é uma plataforma que permite aos estudantes reservarem alojamento online de uma forma fácil e segura. A plataforma oferece a estudantes e jovens profissionais a mais ampla variedade de alojamento de qualidade nas proximidades da sua universidade. Os estudantes, de qualquer parte do mundo, poderão encontrar e reservar alojamento, com todas as condições necessárias, perto das suas universidades.

Em que é que a vossa empresa hoje em dia difere daquilo que idealizaram originalmente, quando arrancaram com o conceito?

PÚBLICO -
Foto
Depois de ter começado com apenas quatro jovens, o Uniplaces já conta com 25 colaboradores

Mudámos bastante desde que começámos. A primeira versão do site reunia milhares de anúncios, mas não resolvia ainda totalmente o problema dos estudantes em encontrar casa e dos senhorios em arrendá-las. Queríamos ir mais longe e permitir que os estudantes fizessem as reservas online e que os senhorios perdessem muito menos tempo para arrendar as suas propriedades. A Uniplaces hoje, é isso mesmo: uma espécie de Booking para o alojamento universitário.

Receberam 25 mil euros de prémio monetário por vencerem a edição de 2012. Onde é que investiram esse dinheiro e que frutos teve esse investimento?

Receber o prémio das indústrias criativas teve um impacto imenso no nosso projecto. Ajudou-nos a implementar as novas ideias e a lançar a nova versão do site. Conseguimos também aumentar a equipa e afirmar-nos neste segmento de mercado. Trouxe-nos, também, muita notoriedade em Portugal, o que para uma startup é incrível.

Que tipo de projecto é que gostariam de ver vencer a 6.ª edição do PNIC?

É importante que vença um projecto ambicioso e que já tenha algo para mostrar. Implementar as ideias que temos não é fácil e, por isso, é fundamental que o vencedor tenha um plano de acção e já algo concretizado.

O que faz falta às indústrias criativas portuguesas?

Hoje em dia há cada vez mais impulsos ao empreendedorismo, o que é muito bom. E capacidade de inovação também não nos falta. No entanto, por vezes, o que falta mesmo é coragem para arriscar. É preciso deixar a passividade de lado e concretizar as ideias de negócio que temos. Em Portugal condena-se muito o erro e não devíamos deixar-nos influenciar tanto por esse medo porque, no fundo, todos aprendemos com isso.

Se a vossa empresa fosse a uma entrevista de emprego e lhe perguntassem onde vai estar em 2020, o que responderiam?

Em 2020, a Uniplaces será uma referência não só em Portugal, como no mundo todo. Queremos estar presentes em toda a Europa e que qualquer estudante que vá estudar para fora consiga encontrar e reservar a sua casa connosco.