Reitores receberam carta do Governo a garantir reposição dos milhões em falta

Presidente do CRUP espera que questão seja resolvida com orçamento rectificativo. Reitores falam em 30 milhões de euros cortados em excesso.

António Rendas lamenta “gravidade da situação” que enfrentam as universidades com a nova medida
Foto
António Rendas diz que na carta o Governo “admite o erro” e que o vai corrigir Nuno Ferreira Santos

O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Rendas, disse ao PÚBLICO que recebeu há cerca de três semanas uma carta do secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, na qual o Governo se compromete a repor a verba que foi cortada em excesso, no Orçamento do Estado (OE), às universidades. António Rendas, que tinha ameaçado demitir-se do cargo por causa desta questão, vai, assim, manter-se à frente do CRUP.

“Não tenho nenhuma razão para não acreditar naquilo que me escreveram. O secretário de Estado diz isso muito claramente. Aliás, diz que percebe as nossas preocupações e vai com certeza, na execução orçamental, fazer a correcção”, sustenta o presidente do CRUP.

Apesar de admitir que a missiva não fala especificamente em 30 milhões de euros, o montante que os reitores dizem estar em falta nas contas que fizeram ao OE, António Rendas alega que, nela, o Governo “admite o erro” e garante que o vai corrigir.

António Rendas tinha ameaçado demitir-se do cargo de presidente do CRUP, caso as verbas não fossem repostas até Março. O prazo já terminou, mas, como entretanto recebeu esta carta do secretário de Estado, decidiu que vai manter-se no lugar.

“Vou ver. Mas tenho uma carta do secretário de Estado que, neste momento, me permite olhar para isto numa perspectiva que me parece realista e vou ver o que acontece”, diz, defendendo, porém, que é necessário “esperar que haja um orçamento rectificativo”.

“A nossa expectativa é que no orçamento rectificativo isso seja corrigido”, afirma.