Torne-se perito

Muita música, animação e petiscos a um euro, para celebrar sábado o Porto Histórico

Dia Nacional dos Centros Históricos celebra-se este ano em torno da Rua das Flores, cuja obra de reabilitação se conclui sexta-feira.

Os mercados, como o de Porto Belo, em Carlos Alberto, marcam a agenda deste dia dos Centros Históricos
Foto
Os mercados, como o de Porto Belo, em Carlos Alberto, marcam a agenda deste dia dos Centros Históricos Nelson Garrido

Está tudo feito para se aproveitar o relevo que, chegados ao Porto, nos atira, invariavelmente, cidade abaixo, para a zona ribeirinha. Neste sábado, toda a área do Centro Histórico estará em festa, para celebrar o Dia Nacional…dos Centros Históricos. O epicentro de toda a animação prevista é a Rua das Flores e o Largo de São Domingos, zonas alvo de reabilitação e cujas obras serão, nesse dia inauguradas pelo município, com música, novo circo e marionetas.

Muito do que habitualmente acontece na cidade concentra-se neste dia. É o caso dos mercados de rua, como o Porto Belo, na Praça de Carlos Alberto, o Flea Market, na Praça de Parada Leitão, o Mercadinho dos Clérigos, em Cândido dos Reis, ou o Mercado do Fado de Cedofeita entre outros, noutros locais da cidade. É o caso das visitas guiadas a vários equipamentos e monumentos da zona histórica, como a Igreja e o Museu da Misericórdia, na Rua das Flores, o vizinho Museu das Marionetas, o Teatro de São João ou o arqueo-sítio da Rua D. Hugo, importante para o conhecimento das origens do Porto.

São quase duas dezenas as visitas guiadas propostas a espaços fechados, a que se somam nove percursos guiados pela cidade, à descoberta dos seus azulejos, da herança judaica, do Porto dos Teatros, das memórias dos Guindais, entre outras. Neste caso, as inscrições terminam esta quinta-feira. Há ainda propostas de visitas livres à Sé e aos seus claustros, à Igreja da Misericórdia ou à Casa do Infante. É possível também fazer o tradicional cruzeiro entre pontes, no Douro, juntá-lo a uma volta de autocarro ou, simplesmente, ver o Porto antigo no Yellow Bus.

Entre uma volta e um concerto ainda se pode participar num dos vários atelieres previstos. Sobre imagem, som, sobre restauro de azulejos ou de documentos, ou sobre consulta ao arquivo distrital do Porto. Ou, então, ver uma exposição, como a “O Porto Imaginado”, que está patente no Largo de São Domingos, no Palácio das Artes. Tanta caminhada ruas abaixo e ruas acima pode ser compensada com petiscos e aperitivos servidos a um euro em dezena e meia de estabelecimentos. Nalguns restaurantes, essa parte do menu é oferecida também, a quem lá vá almoçar ou jantar.

A lista completa de entidades associadas e de eventos está disponível em anexo. E abre com a animação de rua que inaugurará a renovada Rua das flores, o Largo de São Domingos e o dos Lóios. A partir das 14h promete-se 11 horas consecutivas de movida, com o novo Circo da Erva Daninha, concertos a cargo de músicos da Associação Porta-Jazz e bandas como Jibóia, Filho da Mãe e Ghuna X, entre outras. À noite, a primeira edição de 2014 do Porto Sounds leva ao palco Memória de Peixe e Throes+The Shrine.   

Dentro de portas, a oferta é mais calma. Há cinco peças de teatro em cena - entre elas Filho de Mil Homens, adaptação da obra de Valter Hugo Mãe, pelo teatro Bruto. Há um concerto de música coral, no Palácio das Artes, outro de guitarra clássica, na Irmandade das Almas de São João, à Cordoaria. E quem desejar pode ainda começar o dia na sede da Sociedade de Reabilitação Urbana, a debater os efeitos e expectativas trazidas pela reabilitação do Eixo Mouzinho-Flores, ruas por onde passará uma parte importante da agenda deste Dia Nacional dos Centros Históricos.

Sugerir correcção