Torne-se perito

Câmara do Porto oferece várias ruas aos peões no Dia dos Centros Históricos

Data vai ser celebrada com festa e actividades em vários pontos da cidade e inauguração das obras de reabilitação da Rua das Flores e dos largos dos Lóios e de São Domingos.

A Rua das Flores abre sábado, já sem obras e em clima de festa
Foto
Museu ficará na renovada Rua das Flores Fernando Veludo/NFactos

A partir de sábado, Dia Nacional dos Centros Históricos, há mais ruas pedonais no Porto. À boleia da reabilitação da Rua das Flores e dos largos dos Lóios e de São Domingos, várias pequenas artérias de acesso a estes espaços passam a ter trânsito condicionado, tornando-as acessíveis apenas a moradores, comerciantes e serviços de cargas e descargas, em horários definidos.

A mudança vai ser celebrada com uma festa. Na sexta-feira a autarquia recebe do empreiteiro as ruas já sem obras e já com o problema no piso nas Flores, que provocava quedas, resolvido. No sábado estas artérias transformam-se num palco, espalhado por vários pontos, para música, novo circo, marionetas e outras expressões artísticas. A animação começará pelas 11h e só terminará pela uma da madrugada já de domingo e é apenas uma pequena parte do programa de celebração deste dia, que inclui eventos noutros pontos da cidade

Nesta zona, por estes dias, a empresa municipal Porto Lazer está já a contactar os comerciantes, porta a porta, para lhes explicar os condicionalismos previstos para a festa de sábado mas também o que virá a seguir, a completa pedonalização destas ruas. Os moradores estão a ser avisados por carta e, segundo a autarquia, terão agora um mês para fazerem o registo das respectivas viaturas na Junta de Freguesia.

O projecto de reabilitação urbana do eixo Mouzinho – Flores previa já a pedonalização da Rua de Trás (entre a Rua do Arquitecto Nicolau Nazoni e o Largo dos Lóios), da Rua dos Caldeireiros (entre a Rua do Arquitecto Nicolau Nazoni e a Rua das Flores), da Rua Estreita do Lóios, do Largo dos Lóios (lado poente), da Rua de Afonso Martins Alho, da Rua das Flores, da Rua do Ferraz, da Rua da Ponte Nova, do Largo de S. Domingos (entre o n.º 93 e a Rua das Flores) e da Rua de Sousa Viterbo.

O acesso dos automóveis a estes arruamentos deverá ser permitido a veículos devidamente autorizados, acesso a garagens e para a realização de operações de cargas e descargas, que só poderão acontecer no período da manhã entre as 6h30 e as 11h e no período da tarde entre as 17h30 e as 20 horas. Segundo o município, para permitir a adaptação gradual dos residentes e comerciantes ao novo sistema, os dissuasores mecânicos apenas serão instalados dentro de um mês. Até lá, promete-se um esforço de sensibilização por parte das autoridades e da Câmara Municipal.

Veículos não registados terão de pedir acesso, via intercomunicador. O controlo de acessos a estes arruamentos será assegurado através de um sistema semelhante ao que existe já na Ribeira, composto por 8 “pinos” dissuasores de accionamento automático e equipamento vídeo auxiliar, que será centralizado na Sala de Controlo de Tráfego.

Segundo a autarquia, este condicionamento de trânsito pressupõe apenas a alteração do sentido de trânsito na Rua do Arquitecto Nicolau Nazoni, de norte – sul para sul – norte.

Sugerir correcção