BES multado em mais de um milhão de euros por infracções “muito graves” em Espanha

Duas multas, uma de 960 mil euros e outra de 150 mil, por infracções à normativa sobre prevenção de branqueamento de capitais. Banco português recorreu da decisão.

Sucursal espanhola do BES multada por incumprimento do dever de comunicação
Foto
Sucursal espanhola do BES multada por incumprimento do dever de comunicação Sara Matos

O governo espanhol vai multar o Banco Espírito Santo por ter cometido duas “infracções muito graves” de incumprimento do dever de comunicação, previsto na lei de prevenção do branqueamento de capitais. O BES já anunciou ter recorrido desta decisão.

De acordo com o comunicado publicado, nesta segunda-feira, no Boletim Oficial de Estado, a sucursal espanhola do banco liderado por Ricardo Salgado terá de desembolsar um total de 1,1 milhões de euros. O BES foi instado a pagar duas multas (uma de 150 mil euros e outra de 960 mil euros) e recebeu duas admoestações públicas “como responsável de duas infracções muito graves”.

A decisão, hoje conhecida, foi aprovada em Conselho de Ministros a 3 de Maio de 2013, por proposta do Ministro da Economia e da Competitividade, Luis de Guindos. E teve o aval da Secretaria da Comissão de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Infracções Monetárias há cerca de um mês.

A resolução será aplicada de imediato, sem prejuízo de recurso por parte do banco. O BES terá, agora, um mês para apresentar objecções, prazo que começa a contar a partir de terça-feira.

Reagindo à decisão do Governo espanhol, fonte oficial adiantou à Lusa que a instituição bancária apresentou recurso nesta segunda-feira. As sanções impostas "referem-se a duas situações concretas da operação de dois clientes", afirmou a mesma fonte, sublinhando que o BES "aplica as melhores práticas e cumpre rigorosamente com a normativa em matéria de prevenção de branqueamento de capitais".