Livre é o mais recente partido político e já pode concorrer às europeias

Partido promovido inicialmente pelo eurodeputado Rui Tavares recebeu esta quinta-feira notificação de legalização do Tribunal Constitucional.

Foto
Rui Gaudêncio

O Livre já é formalmente um partido. O Tribunal Constitucional confirmou esta quinta-feira a legalização do partido político promovido pelo eurodeputado Rui Tavares, que pode agora concorrer às eleições europeias marcadas para 25 de Maio.

Em comunicado enviado às redacções, os promotores do Livre informam que receberam notificação por parte do Tribunal Constitucional. O partido tem agora cerca de um mês para entregar a lista com que pretende concorrer às europeias.

"É com grande satisfação que recebemos esta notícia. A criação deste espaço de liberdade, da esquerda, da Europa e da ecologia foi uma vontade cívica partilhada por milhares de pessoas", lê-se no comunicado.

O partido promete agora, com "humildade e responsabilidade", contribuir para "o reforço da democracia portuguesa e europeia".

Conforme o PÚBLICO noticiou esta semana, o Livre está nesta fase a seleccionar candidaturas para as europeias. Rui Tavares, eurodeputado eleito em 2009 pelas listas do BE, sempre definiu as primárias abertas como a imagem de marca do novo partido.

As eleições primárias irão realizar-se a 6 de Abril e a lista vencedora será divulgada na semana seguinte.

Acabar com a política por convite partidário foi anunciado por Rui Tavares como um desígnio do Livre. Tão consistente quanto participar em processos de convergência à esquerda. Mas os últimos meses desfizeram a expectativa de um entendimento à esquerda do PS nestas eleições europeias. PCP e BE já apresentaram as suas listas para a Europa.