FC Porto acusa Sporting de não ter cedido camarote no clássico

"Dragões" referem que os convites que receberam separavam os administradores da SAD na tribuna de Alvalade.

Foto
Foto: Patrícia de Melo Moreira/AFP

O clássico entre Sporting e FC Porto, do passado domingo, continua a dar que falar. Depois de os "dragões" terem acusado o rival de "violência moral" sobre os árbitros, nesta quarta-feira disparam noutra direcção e falam em desrespeito pelas "mais elementares regras de urbanidade".

"É falso que o Sporting tenha cedido um camarote à Administração do FC Porto. O que aconteceu foi que após verificar que os convites enviados pelo Sporting não respeitavam as mais elementares regras da urbanidade, colocando os administradores separados na tribuna, uma empresa comprou um camarote por dez mil euros e cedeu-o ao FC Porto, para que a Administração pudesse assistir toda junta à partida", explicam os "azuis e brancos", no site oficial do clube.

De resto, o FC Porto vai mais longe ao lembrar que "separar os elementos da administração de um clube rival é um comportamento sem precedentes no futebol português", que deve fazer parte de "um qualquer manual de boas maneiras a que só distintos viscondes têm acesso". "Só estranhamos as pessoas sentadas nos lugares adjacentes aos que estavam destinados aos nossos administradores, não pareciam saber francês, nem sequer tocar piano. Eram assim como que… qualquer coisa entre o pirata de argola na orelha e o rufia de filme de série B", ironizam os responsáveis.

A esta crítica, os "dragões" juntam uma outra, referente à ditribuição dos bilhetes para o jogo. "Aproveitamos também para esclarecer o Sporting, que o belo Estádio do Dragão é mesmo a nossa casa. É tão lindo, funcional, já nos proporcionou tantos títulos e nunca foi confundido com qualquer outra coisa que estranhamos o envio dos bilhetes e convites para o Vitalis Park, antigo campo da Constituição", acrescentam.