FC Porto avança com participação contra o Sporting

Portistas acusam “leões” de “condicionamento da arbitragem” e de “constranger os agentes desportivos”.

O clássico do último domingo teve uma arbitragem polémica
Foto
O clássico do último domingo teve uma arbitragem polémica Patrícia de Melo Moreira

O FC Porto vai avançar com uma participação disciplinar contra o Sporting e o seu presidente Bruno de Carvalho junto da Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, a SAD portista acusa os “leões” de “intolerável violência moral com a intenção de constranger os agentes desportivos” com uma “campanha de condicionamento da arbitragem” para os futuros compromissos do Sporting no campeonato, entre eles o jogo com o FC Porto em Alvalade do último domingo – o encontro terminou com um triunfo “leonino” por 1-0 e com os portistas a contestarem a actuação do árbitro Pedro Proença.

O FC Porto cita o artigo 66.º do Regulamento Disciplinar da LPFP, que tem o título “Coacção” e está incluído na subsecção de “Infracções disciplinares muito graves”. Segundo este artigo, se tiver ocorrido “violências físicas ou morais”  “na forma de tentativa”, os clubes infractores serão punidos com derrota e uma multa. Se estas “violências físicas ou morais” ocasionarem "condições anormais na direcção do encontro com consequências no resultado ou levem o árbitro […] a falsear o conteúdo do boletim do encontro”, o regulamento prevê uma “sanção de descida de divisão” e uma multa.

Sugerir correcção