Morreu o compositor Robert Ashley

Conhecido por experimentar novas formas de ópera, Robert Ashley morreu aos 83 anos.

Compositor foi diagnosticado com cirrose
Foto
Compositor foi diagnosticado com cirrose David Clifford

Robert Ashley, uma figura incontornável da música contemporânea norte-americana, morreu esta segunda-feira aos 83 anos. A notícia da sua morte foi confirmada por Kyle Gann, que escreveu recentemente a biografia de Ashley, a quem foi diagnosticado no ano passado uma cirrose.

Robert Ashley ficou conhecido por experimentar novas formas de ópera, pelos seus projectos musicais multimédia e como sendo o precursor, tanto em termos de composição musical como de encenação, da ópera para televisão.

Ele foi um dos mais incríveis compositores do século XX e o maior génio da ópera do século XX”, escreveu Kyle Gann no seu site. “Ele era tão incrivelmente brilhante e original”, continua ainda o biográfo, para quem o entusiasmo de Robert Ashley “era incessante e contagiante”. “Não sei quanto tempo demorará o mundo a reconhecer isto.”

Em 2001, Robert Ashley esteve em Portugal, na 15ª edição dos Encontros Acarte na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, para apresentar a ópera multimédia Dust.

Um ano mais tarde, o compositor foi distinguido pelo seu trabalho pela Foundation for Contemporary Performance Arts com o Prémio John Cage para a Música.

Na década de 1960, organizou durante vários anos o célebre Festival de artes performativas ONCE, e desde então nunca parou de explorar a linguagem musical na sua obra.

Ainda segundo Kyle Gann, Robert Ashley completou uma peça antes de morrer : Mixed Blessings, Indiana. A Pitchfork escreve também que a estreia mundial da sua ópera Crash deverá acontecer este ano.