CDS escolhe mulher para oitava posição nas listas

Diogo Feio excluído como candidato às europeias. Coligação formalizada neste sábado.

O CDS vai ter o quarto e oitavo lugar da lista da coligação Aliança Portugal constituída com o PSD para as eleições europeias, mas esta última posição não é de Diogo Feio como tudo apontava, mas sim de uma mulher indicada pelos centristas.

Nas conversações com o PSD, o líder do CDS, Paulo Portas, negociou o oitavo lugar na lista em vez do nono. O quarto e o nono lugar resultam da aplicação do metido de Hondt aos resultados das anteriores europeias de 2009.

A subida de um lugar do CDS na lista deveu-se à diminuição do número global de eurodeputados eleitos por Portugal, que passou de 22 para 21. Em contrapartida Paulo Portas comprometeu-se em apresentar uma mulher em oitavo lugar para permitir que a lista cumpra a lei da paridade. Tratou-se de uma questão de equilíbrios, segundo fonte da direcção do CDS. No entender dos centristas, o oitavo lugar é elegível, o nono já será bastante arriscado.

Quanto a Diogo Feio, actual eurodeputado e que era o provável numero oito, o presidente do CDS comprometeu-se em aproveitar “muito em breve” as “capacidades” deste vice-presidente do partido “ao serviço do interesse público”. Portas garantiu aos seus colaboradores mais próximos que, em condições normais, Diogo Feio repetiria a presença na lista às europeias o PSD ratifica amanhã o acordo de coligação assinado hoje e a lista de candidatos.

Pelo PSD, é certo que na lista encabeçada por Paulo Rangel se mantém Carlos Coelho, actual eurodeputado. Surge como candidato muito forte a integrar a lista Fernando Ruas, presidente da mesa do congresso e antigo presidente da Câmara de Viseu.